O Sporting ainda aguarda o dia em que reconquistará o Campeonato Português, em troféu distante de suas mãos há 17 anos. Ao longo deste século, a principal satisfação dos leoninos acontece nas copas nacionais, a porta aberta para reafirmar a sua grandeza. E embora o clube tenha demorado 11 edições para erguer a Taça da Liga pela primeira vez, o bicampeonato alcançado neste sábado deixa um sabor especial. Os sportinguistas viam o triunfo do Porto até os acréscimos do segundo tempo. Arrancaram o empate por 1 a 1 aos 47 e, na disputa por pênaltis, voltaram a festejar. Esperança de novos tempos, em uma temporada conturbada que já contou com a mudança de técnico no Alvalade.

No Final Four promovido pela Taça da Liga, o Sporting já tinha sido o responsável por despachar o Braga, anfitrião da vez. Igualmente empatou por 1 a 1 e avançou na marca da cal. O Porto, porém, vinha motivado pela classificação sobre o Benfica e pelo bom desempenho no Campeonato Português. Era o favorito na decisão do Estádio Municipal de Braga. O primeiro tempo teve escassas emoções, entre dois times travados. Já na etapa final, o Porto dominou. Tomou a iniciativa e saiu em vantagem aos 34. Renan Ribeiro bateu roupa e Fernando aproveitou o rebote. E quando as pernas pareciam faltar ao Sporting, um pênalti de Óliver Torres permitiu o empate nos acréscimos. Bas Dost partiu para a cobrança e venceu Vaná. A decisão ficaria nos 11 metros.

Pois o Sporting se mostrou mais competente na disputa por pênaltis. Vaná quase pegou o chute de Bas Dost, mas não conseguiu. Logo depois, Alex Telles converteu o primeiro do Porto. Sebastián Coates isolou e Éder Militão mandou ao lado da meta na segunda série. E enquanto Bruno Fernandes e Nani acertaram aos sportinguistas, Renan Ribeiro pegou o chute de Hernâni e viu Felipe estalar o travessão. Com o triunfo por 3 a 1, os leoninos celebraram o título.

O Porto tem outras consolações. Líder com cinco pontos de vantagem no Campeonato Português, também segue firme na Liga dos Campeões, se preparando ao duelo com a Roma. Já ao Sporting, o título representa uma motivação. Apesar dos tropeços na liga, está a três pontos de alcançar o Benfica e entrar na zona de classificação à Champions. Além disso, as boas vitórias respaldam o trabalho de Marcel Keizer em seus primeiros meses. É um momento interessante dos leoninos, até pelo contraste com o caos de meses atrás. Ainda mais com o primeiro troféu da temporada nas mãos, ainda vivos na Taça de Portugal e na Liga Europa.