Quando o sorteio da Champions League aconteceu, o sorriso frustrado dos dirigentes do Slavia Praga foi emblemático. Os alvirrubros pareciam um mero saco de pancadas no “grupo da morte” contra Internazionale, Barcelona e Borussia Dortmund. Entretanto, os tchecos exibem um futebol que incomoda os oponentes mais fortes e deve garantir uma campanha digna, mesmo se ficarem na lanterna do Grupo F. Depois de fazerem a Inter suar sangue para arrancar o empate de Milão, desta vez o Slavia jogou melhor que o Dortmund durante boa parte do confronto no Estádio Sinobo, apesar de terem entregado a derrota por 2 a 0 em dois contra-ataques.

Especialmente durante o primeiro tempo, Slavia e Dortmund fizeram uma ótima partida em Praga. Era um duelo aberto, com chances para as duas equipes e boas intervenções dos goleiros. Os aurinegros foram mais competentes nas conclusões e saíram em vantagem. Já na segunda etapa, quando os tchecos se impunham no ataque, os alemães mataram o embate apenas no fim. O resultado recobra um pouco de tranquilidade a Lucien Favre, após a sequência recente de empates do BVB. A trinca de meias funcionou muito bem. Enquanto Hakimi voou baixo aberto na ponta, assim como Sancho, Brandt fez seu papel na armação com duas assistências.

 

Sob uma atmosfera pulsante no Estádio Sinobo, o primeiro tempo viu o duelo entre duas equipes de futebol intenso e dispostas a buscar a vitória. O Borussia Dortmund até começou melhor. Jadon Sancho aparecia bastante pela direita e assombrava a defesa do Slavia Praga com suas arrancadas. Criou duas boas chances de gol, mas não conseguiu passar pelo goleiro Ondrej Kolar. Entretanto, os alvirrubros responderiam à altura na sequência do primeiro tempo. A equipe da casa explorava os lances pelos lado do campo.

Nicolae Stanciu e Peter Olayinka representavam os principais perigos à defesa do Dortmund. Entretanto, a grande chance de abrir o placar veio com Lukas Masopust. O ponta saiu na cara do gol aos 20 minutos e, de frente com Roman Bürki, bateu em cima do goleiro. O suíço realizou outras boas intervenções para conter o ímpeto do Slavia. Do outro lado, as melhores chances dos aurinegros vinham nos contragolpes. Reus também ficou próximo do gol cinco minutos depois, sem conseguir completar o cruzamento rasteiro de Sancho.

Quando o Dortmund conseguia controlar melhor os adversários, a vitória se abriu, aos 34 minutos. E contou com um contra-ataque muito bem tramado por Julian Brandt. O meia puxou a marcação e deu um ótimo lançamento a Hakimi após a tabela com o ponta. O marroquino pegou o campo livre, invadiu a área, limpou a marcação e mandou às redes vazias. O Slavia ainda tentou responder antes do intervalo, mas não teve sucesso na missão.

Durante o segundo tempo, o ritmo da partida caiu um pouco mais. Sancho poderia ter ampliado logo de cara, mas Kolar fechou o ângulo. O Slavia Praga passou a ter mais posse de bola e buscava o gol, mas tinha dificuldades para romper a defesa do Borussia Dortmund. Mais contidos, os aurinegros não conseguiam aliviar a pressão e sair para o jogo, com a marcação adiantada dos anfitriões.

Contendo o ímpeto do Slavia, o Dortmund aguardava uma oportunidade de matar o jogo. E ela veio aos 44, graças à combinação que já tinha rendido o primeiro gol. Após uma roubada de bola no campo defensivo, Brandt deu o passe em profundidade e Hakimi disparou pela esquerda. Dentro da área, mandou por baixo do goleiro e celebrou a importante vitória, contra um adversário distante de ser o saco de pancadas da chave.

Apesar da derrota, o Slavia Praga deu mais uma prova de caráter nesta Liga dos Campeões. Soma um ponto, mas com um futebol competitivo. Se a vitória não veio nesta quarta-feira, ela é explicada mais por detalhes do que exatamente por fragilidades dos tchecos. E por isso mesmo o resultado é tão importante ao Borussia Dortmund. A equipe se recupera dos vacilos recentes e finalmente não cede o placar após abrir vantagem. Chega aos quatro pontos, numa disputa que se promete parelha no Grupo F da Champions.

Classificações Sofascore Resultados