O Sheffield United enfrentava dificuldades na retomada da Premier League e sequer anotou gols em seus três primeiros jogos. O encontro com o Tottenham em Bramall Lane, contudo, foi o que as Blades precisavam para reavivar suas ambições no campeonato. Os Spurs podem até reclamar do lance que anulou o empate durante o primeiro tempo. Ainda assim, o time de Chris Wilder deu uma aula de efetividade e construiu uma confortável vitória por 3 a 1. José Mourinho precisará se preocupar bem mais com os repetidos erros de sua marcação, totalmente envolvida pelos oponentes nos lances dos tentos.

O Tottenham não parecia encontrar muitos problemas durante a meia hora inicial de jogo. Os Spurs eram bem mais perigosos em seus avanços e enfrentavam um adversário que pouco fazia no ataque. As chances demoraram um pouco a surgir, mas logo aproximaram os londrinos de abrir o placar. Son Heung-min errou um domínio em boas condições dentro da área, enquanto Harry Kane bateria para fora pouco depois. Já Moussa Sissoko arriscou de longe e parou no goleiro Dean Henderson.

A pausa para água, no entanto, parecia ter ajudado o Sheffield United. E a primeira chance real das Blades acabou em gol. Mesmo com o time praticamente inteiro dentro da área, o Tottenham permitiu a troca de passes pela direita. Sander Berge recebeu com liberdade, dominou e virou para bater rasteiro, mandando no cantinho de Hugo Lloris. Logo na sequência, os Spurs até pensaram que empataram, mas o lance acabaria anulado.

Foi uma bela jogada de Harry Kane. O artilheiro pegou uma bola espirrada por Lucas Moura, deu uma finta seca na marcação e chutou com tranquilidade diante do goleiro. Porém, o VAR flagrou uma irregularidade. Quando puxava o ataque, Lucas Moura foi tocado por trás e, enquanto apoiava as mãos no chão para amortecer a queda, a bola bateu em seu braço. O árbitro precisou marcar a infração, seguindo a recomendação de que mesmo toques involuntários são assinalados no ataque. Bem questionável, mas dentro do que determina a Fifa.

O Tottenham ainda seguiu pressionando no final do primeiro tempo, mas não conseguiu se encontrar na segunda etapa. Apesar do controle da bola, os Spurs pouco faziam para superar a marcação do Sheffield United e concediam espaços atrás. David McGoldrick quase ampliou, num chute que acertou o lado externo da rede. Já o segundo gol das Blades saiu aos 24 minutos, de novo com toda a passividade da defesa londrina. Desta vez o ataque se desenvolveu pela esquerda, em outra troca de passes desimpedida. Lys Mousset estava completamente sozinho na pequena área e agradeceu o passe de Enda Stevens, apenas para escorar às redes.

Destravar a marcação do Sheffield United costuma ser uma tarefa ingrata e a falta de ímpeto do Tottenham tornava tudo mais difícil. Os Spurs pouco criavam para reagir. E o cenário piorou aos 38, com o terceiro tento das Blades. A jogada do segundo tento se repetiu, agora com Berge chegando à linha de fundo e Oliver McBurnie completando na pequena área. Definitivamente, não era o dia do Tottenham. Os londrinos até descontaram no final, em cruzamento de Son que Kane arrematou, mas nada que melhorasse a situação.

O Sheffield interrompe uma sequência de três partidas sem vitórias e retorna à sétima colocação, com 47 pontos. A classificação à Champions League, entretanto, está um pouco mais distante por conta da boa fase dos concorrentes. Já o Tottenham fica para trás, com 45 pontos, em nono. A noção de uma temporada perdida aos Spurs se renova.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore