O Shakhtar Donetsk partiu em vantagem no duelo contra o Benfica, pela Liga Europa, ao vencer a primeira partida por 2 a 1 em Kharkiv. E a visita dos ucranianos ao Estádio da Luz guardou um jogo meio maluco, mas que também demonstrou o poder de reação dos visitantes. Mesmo depois que os encarnados abriram dois gols de vantagem, o Shakhtar buscou o empate por 3 a 3 e assegurou sua classificação. O triunfo, além do mais, encerrou o sonho dos portugueses além das fronteiras em 2019/20. Todos os quatro representantes do país caíram nos 16-avos de final.

Num começo de jogo intenso, os dois primeiros gols saíram antes dos 11 minutos. Pizzi abriu o placar com um chute colocado, enquanto o empate veio graças a um gol contra de Rúben Dias. De qualquer maneira, os benfiquistas pareciam prontos a buscar a classificação. O próprio Rúben Dias fez o segundo gol dos lusitanos, aos 36, e Rafa puniu uma bobeada da zaga do Shakhtar com o terceiro tento no início do segundo tempo.

O mérito dos ucranianos foi a rapidez na resposta. Dois minutos depois, Taras Stepanenko desviou de cabeça o escanteio cobrado por Taison e descontou. Neste momento, o placar já era suficiente aos visitantes, pelos tentos fora de casa. Mesmo assim, a equipe de Donetsk arrancou o empate aos 25. Alan Patrick aproveitou um cruzamento parcialmente afastado pela zaga benfiquista e bateu bonito, tirando do alcance do goleiro Odysseas Vlachodimos.

O Shakhtar Donetsk lidera o Campeonato Ucraniano com uma campanha invicta e, por mais que tenha permitido a reação da Atalanta, fez um papel razoável na fase de grupos da Champions. Acostumado a boas campanhas na Liga Europa, candidata-se às fases mais agudas outra vez. Já os portugueses, que figuravam como uma potência no torneio durante o início da década, decepcionam bastante. Braga e Porto perderam as duas partidas para Rangers e Leverkusen, respectivamente, enquanto o Sporting caiu ante o Istambul Basaksehir na prorrogação. O Benfica era a esperança, mas também terá que se contentar apenas com sua liga nacional.