O São Paulo passou boa parte do Campeonato Brasileiro sem entregar o futebol que sua torcida esperava e (principalmente) que os altos investimentos feitos pelo clube exigiam. No entanto, justo na “decisão” disputada no Morumbi nesta quarta, os são-paulinos enfim corresponderam às expectativas com uma excelente vitória sobre o Internacional. Os garotos assumiram a responsabilidade e Antony fez sua melhor partida pela equipe profissional, ao comandar o triunfo por 2 a 1 sobre os colorados. Comemorar a confirmação no G-6 parece pouco ao dinheiro empreendido pela diretoria tricolor neste ano. De qualquer maneira, o importante resultado coloca o clube diretamente na fase de grupos da Libertadores e dá um pouco mais de esperança ao próximo ano, por deixar para trás a péssima sequência recente.

Apoiado por 30 mil no Morumbi, o São Paulo começou o jogo com velocidade e energia. Era uma postura importante dos tricolores, especialmente diante da posse de bola do Internacional. E o time da casa encurtou o caminho ao gol logo cedo, ao abrir o placar com 15 minutos. Igor Gomes foi o maestro da jogada, ao receber a bola após desarme de Daniel Alves e aproveitar o bote da defesa, para descolar uma enfiada magistral a Antony. O garoto passou às costas da zaga e, de frente para Marcelo Lomba, tirou do goleiro para balançar as redes. Um tento para dar confiança. Na comemoração, Antony até beijou o gramado.

Os jovens do São Paulo faziam um jogo aceso, sob as ordens do assistente Márcio Araújo à beira do campo – suplantando o suspenso Fernando Diniz. Apesar da tentativa do Internacional em morder um pouco mais na marcação, os tricolores sabiam aproveitar os espaços e encaixar ataques diretos. O segundo poderia ter saído antes do intervalo. Os são-paulinos arriscavam e Lomba faria uma boa defesa para barrar o chute de Vitor Bueno. Além disso, Daniel Alves acertaria a trave, em lance que acabaria anulado por impedimento. O veterano participava bastante no apoio.

O futebol incisivo do São Paulo era exatamente o que a torcida queria ver. Foi um bom primeiro tempo da equipe, com a postura cobrada em um duelo deste tamanho. O Internacional, por outro lado, demonstrava muitas dificuldades para construir suas jogadas e se expunha. Precisou esperar 39 minutos até realmente levar perigo, em arremate de Nonato que foi para fora. Ainda assim, Lomba voltaria a ser testado antes do intervalo. Pablo recebeu na área e poderia ter feito melhor, ao bater em cima do goleiro.

Saindo sob aplausos ao final do primeiro tempo, o São Paulo correspondeu logo na volta à etapa complementar. O segundo gol aconteceu aos três minutos. Os tricolores encaixaram um contra-ataque perfeito, iniciado por lindo passe de Tchê Tchê. Antony disparou e encarou dois marcadores, chamando-os para dançar. Depois de limpar o lance, o garoto encontrou Vitor Bueno passando livre e o companheiro não teve trabalho para superar Lomba. Jogadaça, que ressaltava a apresentação convincente dos são-paulinos.

Pela superioridade do São Paulo, cabia mais. O time não se contentava com o placar e marcaria o terceiro gol com Arboleda, aos 11, anulado por impedimento. O Internacional tinha mais posse de bola, mas estava distante de incomodar a zaga são-paulina. Zé Ricardo logo queimaria duas alterações de uma só vez, ao promover as entradas de D’Alessandro e Nico López. Nada que surtisse efeito imediato. Enquanto Pablo finalizou para fora aos 20, em cabeçada que lambeu a trave, Lomba defenderia mais uma tentativa de Vitor Bueno na sequência.

O Internacional só entraria no jogo a partir dos 24, quando um raro ataque resultou em seu primeiro gol. Tiago Volpi defendeu o chute desviado de Guerrero, mas a sobra ficou com Guilherme Parede, que não perdoou. Era um golpe de sorte dos colorados, que obrigaram os tricolores a recuarem um pouco mais. Depois disso, a partida ficou mais tensa. Os gaúchos tentavam forçar o empate, mas sem grande criatividade. E os paulistas também diminuíram seus ataques, embora Antony ainda aparecesse até para dar chapéu em Edenílson. No desespero, o Inter insistia nos chuveirinhos. Até Lomba tentou nos acréscimos, em cabeçada que assustou. Só não alterou o placar ou evitou a merecida vitória são-paulina.

O São Paulo se empolgou na comemoração pelo sexto lugar. E a emoção prevaleceu principalmente aos garotos. Igor Gomes recebeu muitos aplausos da torcida quando deixou o campo para a entrada de Toró. Antony, por sua vez, não segurou as lágrimas. O atacante é observado por clubes europeus e o RB Leipzig tinha representantes no Morumbi. Ao que parece, a belíssima apresentação contra o Inter também pode ter representado a despedida do garoto de 19 anos diante da torcida.

O São Paulo não precisa temer um novo Talleres em sua vida em 2020. O Tricolor fecha a rodada confirmado no G-6, que dá lugar à fase de grupos da Libertadores. A equipe soma 60 pontos e já pode pensar em seu próximo ano, relegando o Corinthians às preliminares. Já o Internacional está próximo da competição continental, mas ainda corre risco de ficar de fora. Com 54 pontos, está cinco à frente do Goiás, seu único concorrente. Um empate dos esmeraldinos já será suficiente aos colorados. Não suficiente para animar a torcida, especialmente depois da atuação apática em ocasião crucial.

Classificações Sofascore Resultados