O resumão da repescagem da Euro: três disputas de pênaltis, e classe de Milinkovic-Savic ajuda a Sérvia

Erling Haaland, Martin Odegaard e outros bons jovens valores da seleção norueguesa terão que esperar mais três anos para disputar a Eurocopa. Nesta quinta-feira, a Sérvia contou com uma atuação coletiva mais consistente e a classe de Milinkovic-Savic para vencer a Noruega por 2 a 1, na semifinal da repescagem, e medirá forças com a Escócia, que precisou dos pênaltis para bater Israel, por vaga na Eurocopa de 2021, após 0 a 0 com bola rolando.

As 16 vagas na repescagem foram dadas aos campeões dos grupos da edição inaugural da Liga das Nações, quatro por divisão. Caso essa seleção se classificasse por meio das Eliminatórias, a vaga passaria para o segundo colocado, depois ao terceiro, depois desceria de divisão e assim por diante. Noruega e Sérvia chegaram aos playoffs como campeãs de seus grupos na terceira divisão.

Filip Duricic teve as duas primeiras chances da Sérvia, mas o destaque do primeiro tempo foi o duelo de artilheiros. Aleksandr Mitrovic desviou de cabeça com muito perigo e depois completou um cruzamento rasteiro na boca do gol para fora. Haaland teve uma cabeçada cortada quase em cima da linha.

A Sérvia seguiu mais perigosa no segundo tempo, com uma cabeçada bloqueada de Mitrovic e uma bomba de fora da área de Kolarov, bem defendida por Rune Jarstein. Aos 35 minutos, Dusan Tadic cobrou falta para a área, Mitrovic tocou a bola na segunda trave e Milinkovic-Savic completou à queima-roupa. No entanto, a Noruega respondeu quase imediatamente com um chute da entrada da área de Mathias Normann e forçou a prorrogação.

E foi aí que a classe de Milinkovic-Savic fez diferença. Ele primeiro deu um lindo passe para Lazovic acertar a trave. Depois, a bola chegou para Tadic na entrada da pequena área. Bloqueado, o camisa 10 rolou para a esquerda. Apesar de ter Haitam Aleesami e o goleiro à sua frente, quase sem ângulo, conseguiu encontrar um espaço para colocar a bola com uma linda cavadinha e classificou a Sérvia no duelo mais forte da repescagem.

Enquanto isso, Escócia e Israel ficavam no 0 a 0. E se esforçaram bastante para que fosse assim. As poucas chances com a bola rolando saíram em escanteios escoceses cobrados pelo capitão Andrew Robertson. No fim do primeiro tempo, Scott McTominay, bem livre na entrada da pequena área, cabeceou um deles para fora. No último lance da partida, já no fim da prorrogação, Liam Cooper carimbou a trave.

Na disputa de pênaltis, o goleador de Israel, Eran Zahavi, perdeu a primeira cobrança. Depois, todo mundo acertou, e a Escócia viaja a Belgrado, em 12 de novembro, para tentar se classificar a uma grande competição pela primeira vez desde a Copa do Mundo da França. Sua última Eurocopa foi na Inglaterra, em 1996.


Islândia se recupera e disputa vaga com a Hungria

A Islândia, que complicou a vida de seleções maiores e conseguiu vaga para as últimas duas grandes competições, perdeu um pouco de força. Depois do Mundial da Rússia, ficou oito jogos sem vencer e foi saco de pancadas em seu grupo da primeira divisão da Liga das Nações, com quatro derrotas para Bélgica e Suíça, apenas um gol marcado e 13 sofridos. Havia dado sinais de recuperação nas Eliminatórias da Eurocopa, superando a Turquia e ficando a quatro pontos de vaga direta.

As primeiras rodadas da nova edição da Liga das Nações não haviam deixado uma impressão tão boa. Perdeu da Inglaterra e foi facilmente goleada pela Bélgica. Enfrentaria uma Romênia que perdeu apenas de Espanha e Suécia nos últimos dois anos. Seria pelo menos equilibrado, mas os islandeses lidaram bem com o desafio, ganharam por 2 a 1, e continuam com chances de jogar a Eurocopa pela segunda vez seguida.

A Islândia abriu 2 a 0 ainda no primeiro tempo, com dois bonitos chutes de Sigurdsson, seu principal jogador, da entrada da área. Aos 16 minutos, recebeu de costas para o gol, girou, abriu espaço e bateu firme com a perna esquerda. Depois, bateu com curva no canto, sem chances para Tatarusanu. A Romênia descontou com Alexandre Maxim, cobrando pênalti, mas não conseguiu forçar a prorrogação.

Em 12 de novembro, a Islândia enfrentará a Hungria, em Budapeste. Os húngaros foram fortes demais para a Bulgária, que atuou em casa e com torcida nas arquibancadas do Estádio Nacional de Sofia. O zagueiro Willi Orbán abriu o placar desviando cobrança de escanteio com o peito. Zsolt Kalmár fez 2 a 0, no começo da etapa final, com uma cobrança de falta rasteira. A barreira armada por Plamen Iliev se desmanchou e ainda desviou a bola para enganar de vez o goleirão.

Aos 30 minutos da etapa final Szilveszter Hangya ganhou pela esquerda e cruzou com perfeição para Nemanja Nikolics matar a parada de cabeça. Georgi Yomov fez o gol de honra da Bulgária.

Macedônia do Norte encerra sonho do Kosovo

O sonho do Kosovo de disputar uma grande competição pela primeira vez terminou. O caçula do futebol europeu fez uma campanha honrosa nas Eliminatórias da Eurocopa, com o terceiro lugar do Grupo A, a quatro pontos da Tchéquia, mas não conseguiu vaga direta. A última chance era por meio da repescagem, mas a Macedônia do Norte tinha outros planos e venceu por 2 a 1.

O Kosovo chegou até esta fase graças à liderança de seu grupo na quarta divisão da Liga das Nações. Fez uma boa campanha, com quatro vitórias e dois empates. A Macedônia do Norte havia sido ligeiramente melhor, com cinco triunfos e uma derrota, e também havia ficado em terceiro lugar na sua chave das Eliminatórias.

O equilíbrio se traduziu em campo com os dois times marcando antes da meia hora. Arijan Ademi recebeu na entrada da área e rolou para a chegada de Stefan Ristovski pela direita. O chute cruzado desviou em Benjamin Kololli e traiu o goleiro Arijanet Muric, um dos destaques do jogo com sete defesas.

Kosovo reagiu com um lance bem estranho. O goleiro da Macedônia, Stole Dimitrievski, saiu do gol para agarrar a bola na entrada da área, mas a deixou escapar. Não podia pegá-la com as mãos, agora fora da área, e deixou para o zagueiro Darko Velkovski afastar. Ele não afastou. Bersant Celina tocou para trás, e Florent Hadergjonaj bateu por cobertura: 1 a 1.

Velkovski se redimiu do vacilo, ainda no primeiro tempo. Enis Bardhi cobrou falta pela esquerda, e o zagueiro subiu alto para desviar de cabeça e classificar a Macedônia do Norte. O adversário na final da repescagem será a Georgia, em Tbilisi, também em 12 de novembro. No primeiro jogo do dia, a Georgia bateu Belarus, por 1 a 0, com gol de pênalti de Tornike Okriashvili, aos sete minutos do primeiro tempo.

.

Eslováquia estraga o potencial Irlanda x Irlanda do Norte

O duelo final por vaga na Eurocopa na segunda divisão da repescagem poderia envolver duas seleções com um vasto e feroz histórico de rivalidade, mas a Eslováquia, nos pênaltis, estragou o potencial confronto entre Irlanda e Irlanda do Norte no próximo mês de novembro, ao derrotar os irlandeses, nos pênaltis, após 0 a 0 no tempo normal.

Até que houve bastante movimentação com a bola rolando. As defesas das duas seleções tiveram que cortar bolas em cima da linha, os goleiros fizeram intervenções importantes e a Irlanda acertou a trave na prorrogação. O zero no placar, porém, prevaleceu. Nos pênaltis, todo mundo converteu, até Alan Browne parar nas mãos de Marek Rodák. Jan Gregus colocou a Eslováquia á frente com uma cavadinha arriscada – quase defendida por Randolph, que não saiu do lugar -, e Matt Doherty carimbou o travessão na batida final.

No outro jogo, empate por 1 a 1. A Bósnia saiu na frente, com Rade Krunic, mas levou o empate no começo do segundo tempo, em uma jogada de muita raça de Nial McGinn. Nos pênaltis, Pjanic e Stuart Dallas bateram bem. Haris Hajradinovic cruzou e parou nas mãos de Peacock-Farrell. Kyle Lafferty fez 2 a 1 para a Irlanda do Norte.

Edin Visca carimbou o travessão, mas pelo menos George Saville também errou para a Irlanda do Norte. Dino Hotic e Edin Dzeko acertaram para a Bósnia. Mas Conor Washington e Liam Boyce acertaram para os britânicos, que recebem a Eslováquia, em Belfast, no dia 12 de novembro.