Em sua caminhada, Mario Balotelli sempre teve que lidar com racismo e o retorno ao futebol italiano nesta temporada já teve o sério caso do confronto do Brescia contra o Verona. E, agora, um pior ainda porque saiu da boca de quem deveria protegê-lo e apoiá-lo. O presidente do seu próprio clube, Massimo Cellino, afirmou que Balotelli está “trabalhando para se clarear”.

A declaração foi dada enquanto o presidente do Brescia preparava-se para dar uma entrevista coletiva. Foi questionado sobre o que se poderia dizer de Balotelli, e Cellino respondeu: “É negro, que é negro, o que posso dizer? Está trabalhando para se clarear, mas tem muitas dificuldades”.

Acrescentou depois, segundo a Gazzetta dello Sport: “Eu o contratei porque considerava que ele agregaria valor. Precisa dar resposta em campo, não nas redes sociais. Mas não é o bode expiatório da situação difícil do Brescia”.

A declaração está gravada em vídeo, reproduzido abaixo, e não abre muito espaço para interpretação. Cellino fala “é negro” a primeira vez baixinho e repete, com medo que os repórteres não tivessem ouvido, e faz toda a sua explanação preconceituosa com um sorriso irônico, como se tudo não se passasse de uma grande piada.

E, para ele, foi realmente isso. Uma piada. “A respeito das declarações de Massimo Cellino sobre Mario Balotelli, o Brescia esclarece ter se tratado de uma piada paradoxal, claramente incompreendida, divulgada para minimizar a exposição midiática excessiva e com intenção de proteger o jogador”, explicou o clube, em um comunicado.

Mesmo fingindo que acreditamos nas nobres intenções de Cellino, e não acreditamos, ele falhou espetacularmente em todos seus objetivos: não minimizou a exposição midiática excessiva de Balotelli porque ganhou e ganhará as manchetes de todos os lugares; não protegeu Balotelli; e não teve graça nenhuma.

Como Balotelli pode ter alguma esperança de haver um combate significativo ao racismo, se nem o seu próprio chefe está ao seu lado? Se usa esse tipo de linguagem para tentar explicar o seu desempenho em campo com tanta naturalidade, tenha sido “apenas uma piada” ou não?

A esta altura, não seria surpresa nenhuma se Balotelli saísse do Brescia já em janeiro, mas infelizmente seria muito surpreendente se Cellino saísse da entrevista coletiva do jeito que deveria: direto para a prisão.