É difícil falar de temas que envolvam torcidas. Mesmo quem se diz contra as organizadas muitas vezes só o fazem quando envolve a torcida dos outros times. Quando se trata de uma organizada de seu time, tenta aliviar ou encontrar alguma interpretação positiva para as histórias. Aí, é duro lidar com as versões, quase todas enviesadas de alguma forma.

Bem, conversei com um amigo são-paulino que não é ligado a nenhuma organizada e estava no Morumbi (como torcedor, ele não é jornalista) neste domingo. Por coincidência, ele estava bem perto da confusão e me contou o que viu. Sei que não é versão definitiva, até porque ele só conta o que se desenrolou na sua frente. Mas há elementos no relato dele que não encontrei em outros lugares e expõem falhas de policiais e de torcedores organizados das duas equipes.

Reforçando: é um conhecido meu, sei quem é, confio na versão dele como alguém que sabe separar a descrição dos fatos do clubismo pró ou anti-Corinthians, pró ou anti-São Paulo, pró ou anti-organizadas. Ele só pediu para não ser identificado porque vai ao Morumbi com frequência e não quer ser reconhecido no futuro por alguém que se sinta atingido nesse relato.

***

No final do primeiro tempo, a torcida do Corinthians estava jogando umas coisas pro céu, tipo serpentina. Quando os times estavam saindo de campo, começaram os gritos de provocação entre os dois lados. Aí, do nada, a torcida do Corinthians jogou uma bomba que estourou no setor abaixo, onde não fica organizada alguma.

Segundos depois, saiu uma bomba da área em que estava a Dragões da Real em direção à torcida do Corinthians, mas ela acabou caindo em cima da polícia. Tenho 95% de certeza que a bomba saiu da Dragões, mas poderia ser de algum membro da Independente que atravessou o setor só para atirar a bomba e voltou. Não deu para ver isso na hora.

Obs.: a Dragões estava no limite da divisão das torcidas. A Independente estava mais afastada. Entre as duas organizadas são-paulinas fica um grupo de torcedores “não-organizados”.

Na hora, o choque veio para cima de todo mundo que estava lá próximo, e as pessoas fugiram, se afastaram. Ninguém revidou. Só apanharam e saíram. Mas, logo depois, o pessoal da Independente que estava próximo à junção com o setor azul correu para a outra saída para sair no braço com a polícia. Eram os caras da “cavalaria” da organizada, a linha de frente para as brigas.

Enquanto o pessoal que saiu de onde eu estava não chegou do outro lado, o choque estava “ganhando” o “combate”. Quando chegou o pessoal da Independente na outra saída, onde rolava a pancadaria, a coisa ficou feia. E foi o que mostraram na TV.

Nessa altura, eu já tinha me afastado para uma outra saída do antigo setor laranja, e começaram a surgir pessoas por lá machucadas, com nariz quebrado, mulheres e crianças passando mal.

Até que apareceu um cara da torcida com um rádio da PM na mão. Ele ficou na frequência de comunicação do choque, xingando os policiais e falando que levaria o rádio para casa. Esse cara eu vi depois na TV: era um gordo que apareceu nas imagens da ESPN sem camisa, todo ensanguentado.

Do outro lado, chegou o reforço do choque. Eles deram a volta e vieram batendo em todo mundo até a saída em que eu estava. Aí, apareceu MUITA gente ensanguentada e machucada. Um PM gritou que, se o rádio não aparecesse, “sair do estádio seria um problema”.

Uns caras da Independente foram atrás do sujeito que tinha roubado o rádio e pediram para ele devolver. O sujeito não quis, mas tomaram o rádio na marra e devolveram aos policiais. Enquanto isso, uns membros da torcida ficaram batendo no sujeito que roubou o rádio porque ele teria colocado os demais em risco. A confusão acabou na hora em que devolveram o rádio, mas tudo isso levou uns 15 minutos.

Não foi numa tentativa de uma torcida invadir o espaço da outra. Foi uma troca de bombas, e a polícia atacou porque foi atingida por uma das bombas. O setor estava lotado no primeiro tempo. Depois, ficou mais vazio e silencioso. Não sei se deu para ver na TV, mas ninguém mais cantou naquele setor. A galera estava com medo de represália da PM na saída, ficou um clima muito estranho.

Mas tinha cara da Independente filmando a pancadaria. E não foi com celular, era com câmera mesmo. Não sei qual era a ideia deles com o vídeo, mas não duvido que apareça na internet um dia desses.