O Real Madrid saiu aliviado com o empate, numa atuação insuficiente em que o Villarreal ameaçou no fim

Sem agradar neste início de temporada, o Real Madrid voltou da Data Fifa com uma missão difícil. Os merengues visitavam o Villarreal no Estádio de la Cerámica, um adversário embalado, e com Zinedine Zidane precisando lidar com diversas ausências de peso. A equipe madrilena até abriu o placar rapidamente e contou com um bom trabalho de seu meio-campo para escapar da marcação adiantada dos adversários, mas de novo fez uma atuação pouco animadora. O Submarino Amarelo melhorou no segundo tempo, buscou o empate por 1 a 1 e até merecia sorte melhor, com chances para decretar a virada.

O Real Madrid entrou em campo com uma equipe bastante desfigurada. Ainda existiam expectativas de que Casemiro e Karim Benzema pudessem aparecer na equipe, mas os dois engrossavam a lista de desfalques liderada por Sergio Ramos. Eden Hazard era a referência ofensiva, com Raphaël Varane usando a braçadeira de capitão. Já o Villarreal também sentiria falta de Paco Alcácer, apesar de reunir Pau Torres e Gerard Moreno em alta.

Logo aos dois minutos, o Real Madrid saiu em vantagem no Estádio de la Cerámica. Depois da inversão de Toni Kroos, Dani Carvajal cruzou no capricho e Mariano Díaz concluiu de cabeça às redes. Houve reclamação de um impedimento na construção do lance, mas a arbitragem avaliou que Lucas Vázquez não interferiu. Apesar da desvantagem, o Villarreal pressionava na marcação e tentava apertar. Os merengues aliviavam o sufoco tocando a bola, mas as chances logo apareceriam ao Submarino Amarelo. Aos 20, Dani Parejo cabeceou com perigo para fora.

Não era uma partida de muita emoção e o Real Madrid pouco criava no ataque. Martin Odegaard e Eden Hazard mal apareciam – exceção feita a um drible do belga, que pouco valeu. A nova chance de balançar as redes só veio aos 35, em mais uma boa jogada de Mariano. Lucas Vázquez foi bloqueado e, no rebote, o dominicano estava impedido ao acertar a trave. A sorte dos merengues é que o Villarreal também não produzia muito, por mais que ganhasse terreno com o passar dos minutos.

O Villarreal melhorou no segundo tempo e deu seu primeiro aviso aos 12, com Gerard Moreno. Depois de uma bola roubada no ataque, o artilheiro tentou tirar de Thibaut Courtois e acabou errando por pouco. Unai Emery promoveu uma mudança tripla aos 16, incluindo a entrada de Samuel Chukwueze, enquanto Zidane mandou a campo Vinícius Júnior e Isco pouco depois. O Submarino Amarelo respondeu melhor às trocas e começou a rondar o empate. Vicente Iborra seria travado depois que Courtois não afastou o perigo e Parejo mandou para fora em excelentes condições, após jogada de Pervis Estupiñán.

O merecido empate do Villarreal amadureceu e saiu aos 30. Lançado por Estupiñán, Chukwueze ia passando por Courtois quando foi derrubado pelo goleiro. Pênalti, que Gerard Moreno converteu com calma. A partida ficou aberta no fim, embora pendesse mais a uma virada do Submarino Amarelo. Moreno seria travado por Varane, no que poderia ser o tento da virada. Por mais que sobrassem espaços, o Real Madrid fazia pouquíssimo, limitado a uma boa tentativa de Marco Asensio – que saíra do banco. Os merengues agradeceriam o fim do jogo, quando os anfitriões eram superiores. Nos acréscimos, Takefusa Kubo invadiu a área e tirou do alcance de Courtois, mas Nacho Fernández refutou o arremate do japonês na pequena área.

O Villarreal permanece por enquanto na vice-liderança do Campeonato Espanhol, com 19 pontos. A equipe só sofreu uma derrota em dez partidas disputadas pela Liga. Já o Real Madrid é o quarto, com 17 pontos, mas olhando no retrovisor para ver quem pode encostar. Se a defesa foi o forte dos merengues no título passado, desta vez são dez gols sofridos em nove compromissos, com quatro pênaltis concedidos pela equipe.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore