O Real Madrid tinha a obrigação de oferecer uma resposta à sua torcida depois da péssima exibição no meio da semana, ao somente empatar com o Club Brugge pela Champions League. O bom início do Granada no Campeonato Espanhol deixava claro que o novo visitante no Estádio Santiago Bernabéu poderia ser indigesto. E, depois de inicialmente construir o que parecia uma vitória fácil, quase o time de Zinedine Zidane se complicou. Os merengues contaram com os lampejos de seus medalhões e o trabalho duro de seus garotos para abrir três gols de vantagem, mas permitiram que os alvirrubros encostassem no placar. Ao menos evitaram um novo deslize, com a vitória por 4 a 2, que prolonga a estadia dos madridistas na liderança.

Zidane escalou a maioria das estrelas à sua disposição, mas barrou Luka Modric. Federico Valverde ganhou mais uma oportunidade no meio-campo e mostrou como a bola é mais importante que o nome, com grande trabalho para desarmar os adversários e construir os ataques. Além disso, Dani Carvajal foi improvisado na esquerda diante da crise de laterais por ali, com as ausências de Ferland Mendy e Marcelo. Álvaro Odriozola estava na direita.

A tranquilidade do Real Madrid no primeiro tempo foi encontrada graças à genialidade de Gareth Bale. Logo aos dois minutos, o galês executou um soberbo cruzamento de trivela. Encontrou Karim Benzema livre na área e o centroavante marcou. Sem a pressão de ter que construir o resultado, os merengues puderam seguir com o domínio na primeira etapa e atacavam com força. Criaram boas chances e paravam nas defesas do goleiro Rui Silva, que chegou a fazer um milagre diante de Dani Carvajal. A única notícia ruim ficou para a lesão de Toni Kroos, substituído por Modric aos 34.

Mesmo diminuindo a pressão no fim do primeiro tempo, o segundo gol do Real Madrid veio nos acréscimos, com Eden Hazard. Valverde ganhou a disputa no meio e deixou o belga de frente para o crime, dando um leve toque para encobrir o goleiro. Foi o primeiro tento do camisa 7 pelo novo clube. Já na etapa complementar, quando o Granada começava a dar sinais de reação, a saída de Kroos se provou uma infelicidade oportuna. Modric aproveitou os minutos em campo e desabafou com um golaço aos 16. Hazard passou ao croata, que dominou e soltou a bomba de fora da área, no ângulo. Teve uma comemoração explosiva.

A segurança dos três gols no placar, porém, também foi o pecado do Real Madrid. O time relaxou e o Granada mostrou por que ocupa a vice-liderança do Espanhol. Os visitantes reviveram aos 24, graças a uma lambança de Alphonse Aréola. O goleiro fazia uma partida segura, mas resolveu driblar na área e cometeu um pênalti bobo. Darwin Machís converteu. Já aos 32, após uma cobrança de escanteio, Domingos Duarte apareceu no segundo pau e permitiu aos alvirrubros encostarem no placar.

O pesadelo persistiu e o Granada tentou exercer certa pressão. O Real Madrid só acordou no final, quando voltou a buscar o quarto gol nos contragolpes. Rui Silva fez uma defesa incrível para barrar Benzema depois de boa jogada dos merengues. Já o tento que confirmou a vitória saiu aos 46, num cruzamento rasteiro de Odriozola. James Rodríguez, que saíra do banco, bateu de primeira e mandou no contrapé do goleiro. Sem convencer, os madridistas venceram.

A liderança do Campeonato Espanhol permanece com o Real Madrid. O time soma 18 pontos, quatro de vantagem neste momento. O Atlético de Madrid, com 14, é quem pode encostar. Já o Granada segue com uma campanha muito acima das expectativas em sua volta à primeira divisão. Acumula 14 pontos, mas deve perder a segunda posição, diante do bolo de clubes que luta pela parte de cima da tabela neste início. A persistência quase valeu um grande resultado.

Classificações Sofascore Resultados