O que parecia um domingo tranquilo ao Arsenal terminou de maneira caótica. Após a emocionante vitória pela Liga Europa, o compromisso na Premier League oferecia uma boa oportunidade para manter o clima positivo no Estádio Emirates. Não que o duelo contra o Crystal Palace, em destaque neste início de temporada, fosse necessariamente fácil. Mas os Gunners abriram dois gols de diferença logo de cara e tinham o resultado nas mãos. No entanto, a equipe da casa viu a situação sair de seu controle. Os anfitriões cederam o empate por 2 a 2 e o próprio capitão respondeu às vaias da torcida. Como se não bastasse, uma decisão bastante controversa da arbitragem impediu a vitória suada no final. O time de Unai Emery segue oscilando e lida com a pressão pela falta de resultados.

O início contundente do Arsenal permitiu que a equipe anotasse dois gols em nove minutos. Foram dois lances que nasceram a partir de cobranças de escanteio pela direita. Primeiro, Sokratis Papastathopoulos aproveitou uma bola mal afastada por Gary Cahill. Na sequência, Alexandre Lacazette desviou no primeiro pau e David Luiz apareceu atrás da zaga para escorar o segundo. Os Gunners seguiam melhores na partida e poderiam ter feito o terceiro na sequência.

A reação do Crystal Palace começou aos 32, em pênalti cometido sobre Wilfried Zaha. Luka Milivojevic converteu. A partida seguiu aberta até o intervalo, com os dois goleiros precisando trabalhar. Ainda assim, a ocasião parecia pender um pouco mais ao Arsenal, que falhava nas conclusões. O pesadelo se desenrolou mesmo durante o segundo tempo. O empate do Crystal Palace aconteceu logo aos seis minutos. James McArthur puxou a jogada pela esquerda e chegou à linha de fundo para cruzar. Jordan Ayew apareceu às costas de David Luiz e concluiu.

Diante do empate, a torcida do Arsenal já indicava sua irritação na noite. Primeiro, ao reclamar da arbitragem. Já aos 15 minutos, o alvo foi Granit Xhaka. Enquanto o capitão era substituído, os londrinos começaram a gritar ironicamente. O suíço pediu que fizessem mais barulho e soltou palavrões, antes que as vaias crescessem. O meio-campista colocou a mão na orelha, passou por Unai Emery, tirou a camisa e saiu direto aos vestiários. Cena vergonhosa, que não ajudava nada o ambiente à equipe da casa.

Restava ao Arsenal pressionar. Em busca do gol, Lacazette forçou a defesa de Wayne Hennessey. Já o terceiro tento saiu aos 38 minutos e provocou uma explosão nas arquibancadas, antes de ser anulado pelo árbitro Martin Atkinson. Após cobrança de escanteio, Calum Chambers brigou pela bola na área e a sobra ficou com Sokratis, que encheu o pé. Entretanto, o lance foi para a revisão do VAR e o juiz de campo acatou a indicação de falta. O lance gerou  controvérsia, por não parecer suficiente à anulação. A força de Chambers foi proporcional à da marcação, mas ainda assim o defensor terminou punido. Ao final, um pouco mais de drama. Hennessey parou David Luiz, enquanto Zaha quase virou nos acréscimos, até que o apito confirmasse a igualdade.

A torcida do Arsenal vaiou bastante na saída de campo. A insatisfação se direcionava à atuação da equipe e ao resultado que escapou, mas também ao posicionamento da arbitragem ao longo da noite. A anulação do terceiro gol não ficou clara e os procedimentos da Premier League se mostram bastante falhos. Em prol da agilidade nas decisões, os árbitros de campo não avaliam as jogadas no monitor e isso causa problemas. Durante sua entrevista depois da partida, o próprio Unai Emery questionou a orientação da liga ao não se abrir à segunda opinião.

Além do que foge de sua alçada, a situação do Arsenal não ajuda. Com apenas uma vitória nas últimas quatro rodadas, os Gunners ficam na quinta colocação da Premier League. Somam 16 pontos, agora quatro a menos que Chelsea e Leicester no G-4. Já o Crystal Palace, em boa campanha, aparece logo atrás. É o sexto colocado, com 15 pontos.

Classificações Sofascore Resultados