No próximo fim de semana será dado o pontapé inicial da primeira parte da temporada do futebol mexicano, com o início do torneio Apertura da Liga MX. No já tradicional guia da Trivela, confira nessa primeira parte, organizada por ordem alfabética, seis clubes, incluindo os atuais campeões e vice, América e Cruz Azul, além do novo Chiapas e do gigante Chivas Guadalajara, que soma poucas perspectivas de título na fase atual:

Vagas continentais do Apertura 2013

1º colocado na fase de classificação: fase de grupos da Copa Libertadores 2014*
2º colocado na fase de classificação: fase de grupos da Copa Libertadores 2014*
3º colocado na fase de classificação: fase preliminar da Copa Libertadores 2014*
Campeão da Liguilla: fase de grupos da Liga dos Campeões da Concacaf 2014/15
Vice-campeão da Liguilla: fase preliminar da Liga dos Campeões da Concacaf 2014/15
Último colocado (média das últimas três temporadas, incluindo Clausura 2014): rebaixado

* Tijuana, Toluca, América e Cruz Azul, irão disputar a Concacaf Champions League 2013/14, não podendo obter vaga na Libertadores de 2014.

América

Nome: Club de Fútbol América S.A. de C.V

Fundação: 12/out/1916

Site oficial: www.clubamerica.com.mx
Estádio: Azteca (105.064 torcedores)

Cidade: Cidade do México (8.851.080 habitantes)
Técnico: Miguel Herrera
Colocação no Clausura 2013: 2º lugar (32 pontos, 17 jogos, 9 vitórias, 5 empates, 3 derrotas, 30 gols marcados e 15 gols sofridos) – Campeão da Liguilla
Competição continental: Concacaf Champions League
Destaque: Rubens Sambueza (M)
Fique de olho: Gil Cordero (M)

Principais reforços: Luis Gabriel Rey-COL (A, Jaguares), Luis Mendoza (A, San Luis), Carlos Gutiérrez (M, Atas) e Andrés Andrade-COL (M, Tolima-COL)
Provável time-base: Moisés Muñoz, Paul Aguilar, Francisco Rodríguez, Aquivaldo Mosquera, Juan Carlos Valenzuela e Adrián Aldrete; Jesús Molina (Juan Medina), Osvaldo Martínez e Rubens Sambueza; Raúl Jiménez e Luis Gabriel Rey (Narciso Mina);

Expectativa: título

Campeão do Clausura em uma decisão emocionante e sobre um de seus maiores rivais, com um elenco poderoso e o maior craque do campeonato. Teria o América algum motivo para apreensão no Apertura que se inicia? A resposta, ainda que soe contraditória, é sim. Os Millonetas perderam a jovem promessa Diego Reyes para o Porto (POR) e o artilheiro e principal jogador do time, “Chucho” Benítez, para o futebol do Qatar. Outro que deus adeus foi o meia Efraín Juárez, que rumou para o Monterrey. Mas esse ainda longe de brilhar em seu retorno ao futebol azteca.

A esperança para substituir o equatoriano recai sobre o veterano colombiano Luis Gabriel Rey, contratado junto ao extinto Jaguares. Além disso, os Cremas optaram por apostar em um jovem meia do Tolima, Andrade, ainda que o setor de criação seja atualmente o mais bem servido do elenco. Com poucas modificações, mesmo que importantes, os Canários apostam no entrosamento e no bom comando de Herrera sobre um elenco forte e com boas opções para buscar o bicampeonato da Liga MX.

Atlante

Nome do clube: Club de Fútbol Atlante S.A. de C.V.

Fundação: 18/abr/1916

Site oficial: www.atlantefc.com.mx

Estádio: Olímpico Andrés Quintana Roo (20.000 torcedores)

Cidade: Cancún (628.306 habitantes)

Técnico: Wilson Graniolatti-URU
Colocação no Clausura 2013: 18º (13 pontos, 17 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 12 derrotas, 16 gols marcados e 33 gols sofridos)
Competição continental: nenhuma
Destaque: Joaquín Larrivey (A)

Fique de olho: Ezequiel Orozco (A)

Principais reforços: Yosgart Gutiérrez (G, Cruz Azul), Héctor Morales (D, Monterrey), Sergio Pérez (D, Chivas Guadalajara), Mauricio Martín Romero-ARG (D, Colón-ARG), Walter Erviti-ARG (M, Boca Juniors-ARG), Pedro Joaquín Galván-ARG (M, Bnei Yehuda Tel Aviv-ISR) Martín Galmarini-ARG (M, Tigre-ARG), Alejandro Vela (M, Cruz Azul) e Giancarlo Maldonado-VEN (A, Deportivo Táchira-VEN)

Provável time-base: Yosgart Gutiérrez, Óscar Vera, Luis Venegas, Mauricio Martín Romero e Héctor Morales; José Daniel Guerrero, Martín Galmarini, Alejandro Vela e Walter Erviti; Joaquín Larrivey e Francisco Fonseca;
Expectativa: fugir do rebaixamento

Entrando na nova temporada como um dos clubes mais ameaçados pelo descenso, o Atlante terá um grande desafio pela frente para apagar os vestígios da péssima campanha no último Clausura, no qual segurou a lanterna. Uma missão logo de cara dificultada pela perda de seu artilheiro e referência, o atacante chileno Paredes, vendido ao Querétaro. O clube de Cancún terá de lidar, também, com um grande volume de modificações em seu elenco, e a consequente falta de entrosamento.

Para fugir da queda, os Potros apostam alto no futebol argentino, contratando o zagueiro Romero e os meias Galván, Galmarini e Erviti (ex-Boca) para se juntarem ao atacante Larrivey, um dos poucos talentos do elenco azulgrana. Com essa filial portenha, o Atlante busca somar pontos e se distanciar rápido da queda, já que um novo desempenho como o do último torneio pode ser fatal para as pretensões do clube.

Atlas

Nome do clube: Club Social y Deportivo Atlas de Guadalajara

Fundação: 15/ago/1916

Site oficial: www.atlas.com.mx

Estádio: Jalisco (56.713 torcedores)

Cidade: Guadalajara (1.495.182 habitantes)

Técnico: Omar Asad-ARG
Colocação no Clausura 2013: 3º (32 pontos, 17 jogos, 9 vitórias, 5 empates, 3 derrotas, 20 gols marcados e 13 gols sofridos)
Competição continental: nenhuma

Destaque: Omar Bravo (A)

Fique de olho: Juan Pablo Vigón (M)

Principais reforços: Flavio Santos (A, Toluca)

Provável time-base: Miguel Pinto, Sergio Ponce, Leandro Cufré, Facundo Erpen e Óscar Razo; Lucas Ayala, Ricardo Bocanegra, José Luis Chávez e Rodrigo Millar; Matías Vuoso e Omar Bravo;
Expectativa: vaga na Liguilla

Após uma inesperada ótima campanha no Clausura, o objetivo do Atlas volta a ser somar pontos e se consolidar por algumas temporadas no meio da tabela da Liga MX. O risco de queda não se afastou de vez, principalmente após o desaparecimento do San Luis, um de seus rivais na briga. Mas entre os clubes mal posicionados, os Rojinegros parecem somar mais estrutura e qualidade para livrar-se dos riscos.

O elenco nas mãos de “Turco” Asad é enxuto, mas tem o entrosamento como um de seus pontos fortes, já que poucos nomes foram alterados de Clausura pra cá. A Academia, aliás, foi o único clube a não se movimentar no “Draft” da Liga MX. A espinha dorsal, experiente e rodada, continua sendo formado pelo goleiro chileno Miguel Pinto, os veteranos defensores argentinos Erpen e Cufré e o atacante Omar Bravo, antigo ídolo do arquirrival Chivas. A má fase do rival, aliás, pode servir de combustível para o Atlas, que soma apenas seis pontos a menos e, com um bom Apertura, pode inverter os papeis em Guadalajara.

Chiapas

Nome do clube: Chiapas Fútbol Club
Fundação: 27/jun/2002

Site oficial: www.chiapasfc.com.mx

Estádio: Víctor Manuel Reyna (31.500 torcedores)

Cidade: Tuxtla Gutiérrez (553.374 habitantes)

Técnico: Sergio Bueno
Colocação no Clausura 2013: 14º lugar (17 pontos, 17 jogos, 4 vitórias, 6 empates, 7 derrotas, 21 gols marcados e 32 gols sofridos)
Competição continental: nenhuma
Destaque: Javier Muñoz Mustafá (D)

Fique de olho: Martín Zúñiga (A)

Principais reforços: Miguel Martínez-ARG (D, Jaguares), David Mendieta-PAR (M, Sol de América-PAR), Carlos Ochoa (A, Morelia), Sergio Santana (A, Morelia) e Lucas Viatri-ARG (A, Boca Juniors-ARG)

Provável time-base: Antonio Pérez, Uriel Álvarez, Miguel Martínez, Javier Muñoz Mustafá e Roberto Juárez; Dadiv Toledo, Gerardo Espinoza, Moisés Velasco e Avilés Hurtado (David Mendieta); Carlos Ochoa (Sergio Santana) e Lucas Viatri (Martín Zúñiga);

Expectativa: fugir do rebaixamento

Recém-fundado em manobra para manter o Querétaro na elite, o Chiapas não terá muitas facilidades, tendo de lutar muito para manter-se na Liga MX. Herdando a história, a torcida e o estádio do Jaguares, mas o elenco do antigo San Luis, franquia que mudou-se para Tuxtla Gutiérrez, o novo time forma um verdadeiro “Frankenstein” de jogadores.

A missão do mexicano Sergio Bueno será dar forma e entrosamento a um grupo formado com nomes do antigo San Luis que não atraíram interesse dos demais times e uma série de atletas obscuros encostados na Liga MX ou nas divisões inferiores. Isso sem falar no agravante da baixa pontuação dos chiapanecos, que herdaram também a última colocação da antiga franquia dos Tuneros e terão um fator complicador a mais na briga pela manutenção na elite azteca.

Cruz Azul

Nome do clube: Club Deportivo, Social y Cultural Cruz Azul A.C.

Fundação: 22/mai/1927

Site oficial: www.cruz-azul.com.mx

Estádio: Azul (35.161 torcedores)

Cidade: Cidade do México (8.851.080 habitantes)

Técnico: Guillermo “Memo” Vázquez
Colocação no Clausura 2013: 5º lugar (29 pontos, 17 jogos, 8 vitórias, 5 empates, 4 derrotas, 35 gols marcados e 20 gols sofridos) – Perdeu a final para o América
Competição continental: Concacaf Champions League
Destaque: Jesús Corona (G)
Fique de olho: Jerónimo Amione (A)

Principais reforços: Joao Rojas-EQU (M, Morelia) e Jerónimo Amione (A, Atlante)
Provável time-base: Jesús Corona, Júlio Dominguez, Jair Pereira, Luis Perea e Alejandro Castro; Gerardo Torrado, Gerardo Flores, Pablo Barrera (Israel Castro) e Christian Giménez; Teófilo Gutiérrez (Joao Rojas) e Mariano Pavone;

Expectativa: título

Alguns segundos separaram o que poderia ser uma temporada histórica de um desempenho apenas bom no estádio Azul. Mas a derrota para o rival América na decisão do Clausura, ainda bem, não foi tratada como um drama pela diretoria Cementera, mas apenas como um tropeço. Essa diferença ajudou o elenco Celeste a manter um bom ambiente e iniciar a nova temporada com relativa tranquilidade.

As alterações no elenco foram pontuais, o suficiente para manter a estrutura do clube que levou a Copa MX no primeiro semestre, com perdas apenas de atletas que há tempos não rendiam na capital mexicana e a chegada de um nome interessante, o bom meia equatoriano Rojas, que vinha fazendo um ótimo papel em Morelia. A manutenção de “Memo” Vázquez é outra vantagem do clube, que se espelha na fórmula do rival América para tentar voltar ao título da Liga MX.

Chivas de Guadalajara

Nome do clube: Club Deportivo Guadalajara S.A. de C.V.

Fundação: 08/mai/1906

Site oficial: www.chivascampeon.com
Estádio: Omnilife (49.850 torcedores), em Zapopan

Cidade: Guadalajara (1.495.182 habitantes)

Técnico: Benjamin Galindo
Colocação no Clausura 2013: 17º lugar (16 pontos, 17 jogos, 3 vitórias, 7 empates, 7 derrotas, 15 gols marcados e 24 gols sofridos)
Competição continental: nenhuma

Destaque: Marco Fabián (M)
Fique de olho: Giovani Casillas (M)

Principais reforços: Néstor Vidrio (D, Pachuca) e Aldo de Nigris (A, Monterrey)
Provável time-base: Luis Ernesto Michel, Omar Esparza, Héctor Reynoso, Kristian Álvarez e Miguel Ángel Ponce; Patricio Araujo, Jesús Sánchez e Marco Fabián; Aldo de Nigris, Miguel Sabah e Rafael Márquez Lugo;

Expectativa: vaga na Liguilla

Há tempos um início de temporada não era tão preocupante em Zapopán. Com fracos desempenhos nos últimos torneios, o Rebaño Sagrado entra no Apertura com certa preocupação, poucas esperanças e até mesmo alguma proximidade com a zona de descenso. Se a preocupação não é tão imediata, o risco existe para os próximos anos.

Com atuação reduzida no mercado, graças a restrição de sua própria política “nacionalista”, o Chivas pincelou dois bons nomes no mercado: a antiga promessa do arquirrival Atlas, Néstor Vidrio, e o atacante selecionável De Nigris, tricampeão continental com o Monterrey. São nomes que oferecerão um pouco mais de profundidade ao elenco de Galindo, mas nada que dê ao clube mais popular mexicano grandes esperanças de brigar por título.

Curtas

– O Apertura começa na próxima sexta, com os duelos entre Querétaro x Morelia e Tijuana x Atlas. O atual campeão América visita o Tigres no sábado;

– Com vitórias sobre Canadá e Martinica, a Tricolor azteca garantiu vaga nas quartas de final da Copa Ouro, recuperando-se da derrota para o Panamá na estreia da competição. No sábado, a seleção mexicana enfrenta Trinidad & Tobago em busca de um lugar nas semifinais;

Costa Rica

– Os triunfos sobre Cuba e Belize garantiram a vaga dos Ticos na fase final da Copa Ouro nos Estados Unidos. Nesta terça, os costarriquenhos enfrentam os donos da casa na briga pela liderança do grupo C;

El Salvador

– Após dois tropeços nas rodadas iniciais, entregando a vitória contra os trinitários e o empate contra os hondurenhos nos momentos finais das partidas, a Selecta obteve seu primeiro resultado positivo na Copa Ouro, com gol solitário de Zelaya, e garantiu passagem para as quartas de final da competição;

Honduras

– Sem muito esforço, os Catrachos garantiram a vaga e a liderança do grupo B da Copa Ouro com triunfos sobre Haiti e El Salvador, e mesmo com o revés para Trinidad & Tobago na rodada final, mantiveram a ponta;

Panamá

– Depois de protagonizar a surpresa da rodada inicial da Copa Ouro, os panamenhos mantiveram o bom desempenho e garantiram a liderança do grupo A do torneio, com vitória sobre Martinica e empate com o Canadá. O desafio dos Canaleros será repetir ou superar a campanha que levou o país até as semifinais da competição em 2011.