O futebol francês está adotando uma política de tolerância zero contra a homofobia das arquibancadas. Após os jogos entre Nancy x Le Mans, pela segunda divisão, e Nice x Olympique Marseille, pela Ligue 1, serem paralisados por causa de faixas e/ou gritos preconceituosos, algo semelhante aconteceu novamente nesta sexta-feira, na vitória de um desfigurado Paris Saint-Germain por 2 a 0 sobre o Metz, fora de casa.

A torcida da casa levou uma faixa com, segundo o L’Equipe, uma paródia de uma música da cantora belga Angèle, que foi considerada homofóbica pelo árbitro, aos 25 minutos. A partida foi interrompida brevemente, por não mais do que três minutos, e reiniciada com bola ao chão. A letra dizia: “PSG, LFP, deixa eu cantar para vocês irem se foder, eu não passarei na TV porque minhas palavras não são muito alegres”.

Tomas Tuchel precisou apresentar uma série de novidades na sua escalação, devido ao número alto de desfalques. Marcin Bulka foi titular no gol, com Areola negociando sua saída do clube. Colin Dagba foi titular na lateral direita, e o jovem Adil Aouchiche, 17 anos, fez a sua estreia pelo PSG no meio-campo.

Di María abriu o placar, de pênalti, e Eric Choupo-Mouting voltou a marcar, de cabeça, aos 43 minutos do segundo tempo. O Metz foi à frente no segundo tempo, mas não teve capacidade para ameaçar os campeões franceses. Mesmo cheios de problemas.