A crise vivida pelo Paris Saint-Germain parece distante de um fim. Neste sábado, os parisienses tinham a chance de jogar no Parc des Princes e conquistar uma vitória para abaixar a poeira ao redor do elenco. Não aconteceu. O Nice saiu em vantagem na capital e o PSG não passaria do empate. Edison Cavani foi quem mais lamentou o resultado. O uruguaio, voltando de lesão, teve a chance de garantir a virada nos acréscimos do segundo tempo. Desperdiçou um pênalti, em cobrança defendida pelo goleiro Walter Benítez.

O gol do Nice aconteceu logo no início do segundo tempo. Lançado em profundidade, Ignatius Ganago pegou na veia para um belíssimo tento. Quando poderia ter ampliado, Allan Saint-Maximin ainda carimbou o travessão, com a meta escancarada à sua frente. A reação do PSG não tardou, acontecendo graças a um pênalti. Ángel Di María foi derrubado dentro da área e Neymar deslocou o goleiro Walter Benítez para marcar. Quem não teve a mesma categoria foi Cavani. Já nos acréscimos, Dante cometeu uma penalidade desastrada sobre Neymar e o árbitro ratificou através do VAR. Titular pela primeira vez desde fevereiro, o uruguaio não bateu com muita força e facilitou a Benítez. Foi a consagração do goleiro, que havia feito boas defesas no primeiro tempo e vive ótima fase na Côte d’Azur.

O PSG venceu apenas um de seus últimos sete jogos. São três derrotas nas últimas seis rodadas da Ligue 1, somando ainda o vice na Copa da França diante do Rennes. É o momento de botar ordem na casa e pensar na próxima temporada, mas a sequência de resultados ruins só prejudica o clima – mesmo que o bicampeonato francês já estivesse garantido. Uma campanha que tinha tudo para alcançar os 100 pontos já não pode mais bater o recorde do clube nesta década. Reflexos principalmente das decepções seguidas na Liga dos Campeões. Já o Nice, na sétima colocação, depende de um milagre para ir à Liga Europa. Está a sete pontos da zona de classificação, a três rodadas do fim.