Quando David Silva deixar o Manchester City, será como um dos maiores jogadores da história do clube. Já são oito anos de serviços prestados, com três títulos do Campeonato Inglês e atuações soberbas vestindo azul claro. Em entrevista à BBC, o espanhol afirmou que pretende estender essa trajetória por mais duas temporadas, o tempo restante em seu contrato, e depois tem o desejo de voltar para casa: as Ilhas Canárias, onde nasceu, em Arguineguín, e onde mora o Las Palmas.

“Pelo City, mais duas temporadas, o que resta no meu contrato. Depois disso, não sei. Depende de como eu me sentir fisicamente e mentalmente. Eu sempre disse que gostaria de jogar pelo Las Palmas, meu time local. Mas vamos ver como as coisas andam nesses dois anos”, afirmou o jogador que, em 2020, terá 34 anos.

Grande destaque do Valencia quando se transferiu para a Inglaterra, David Silva afirmou que assinar pelo Manchester City foi a melhor decisão que tomou naquela época, em vez de esperar para tentar realizar o sonho de defender Barcelona ou Real Madrid. Até porque, ele morava com os pais, que estavam se divorciando, e o então garoto de 24 anos queria um pouco de distância.

“Era o momento certo para ir embora da Espanha e viver uma nova experiência. O City me queria. Eles me ligavam desde dezembro. Eu pensei: ‘Quem me quer? O City me quer, então é para lá que eu vou’. No fim, foi a decisão correta”, disse. 

Seu primeiro título pelo City foi a Copa da Inglaterra de 2010/11, que ele classifica como um divisor de águas, por ter sido o título que passou a confiança de que outros poderiam ser conquistados. Agora, o clube é o atual campeão inglês e um dos times mais fortes da Europa, sob o comando de Pep Guardiola, considerado por Silva como “um gênio”.

“Ele vê as coisas antes de elas acontecerem, e isso é uma vantagem, uma grande vantagem”, disse. “Ele explica para você e você entende imediatamente. Eu nunca tinha visto isso. E isso serve para todas as áreas: do goleiro ao atacante. Outros treinadores focam mais no ataque, outros na defesa, mas ele cobre o gramado inteiro. Ele é um gênio do futebol”, contou. 

Silva detalhou onde melhorou seu jogo, graças a Guardiola. “Eu acho que aprendi a ser mais paciente em campo. Eu costumava me mexer demais e queria estar em todo lugar. Ele me ensinou a ficar em uma determinada área e esperar a bola para que eu possa gerar vantagem para nós”, explicou.

Em dezembro do ano passado, enquanto o Manchester City construía uma das melhores campanhas da história da Premier League, David Silva teve um sério problema pessoal. Seu filho Mateo nasceu prematuro, e o jogador precisou passar cinco meses viajando entre Manchester e o hospital espanhol em que ele estava sendo tratado.

“Foi realmente difícil. Foi muito difícil com ele no hospital por tanto tempo. Você não para de pensar nisso. E ele estava na Espanha, o que significa que eu tinha que viajar bastante e mal podia treinar. Eu não dormia muito. Eu não comia bem. Mas, felizmente, o time estava indo bem e isso me ajudou bastante”, disse.

“Eu disse isso antes: os únicos momentos em que conseguia tirar isso da mente foi quando estava jogando. E, quando a partida acabava, voltava a pensar em tudo. Mas, sim, foi uma distração muito boa. Futebol é o que mais gostamos e aproveitamos. Agora, ele está bem e tudo valeu a pena. Ele sofreu bastante, mas agora está crescendo bem depressa”, encerrou.


Os comentários estão desativados.