O Liverpool deu passos errantes ao longo dos primeiros meses da temporada. A perda de Luis Suárez significou muito para os Reds, assim como a lesão de Daniel Sturridge. A equipe de Brendan Rodgers demorou demais para achar sua forma ideal e foi perdendo pontos na Premier League, além de dar vexame na Champions. Desde dezembro, no entanto, o treinador tem encontrou o encaixe com as novas peças. E o sonho subir ao G-4 toma forma em Anfield, muito pela fasePhilippe Coutinho. O camisa 10 cresceu com o time e, em ótima fase, liderou a vitória por 2 a 0 sobre o West Ham.

LEIA MAIS: Com mais talento que organização, Manchester United vai somando pontos

Raheem Sterling abriu a contagem em Anfield, reforçando seu protagonismo no Liverpool, especialmente pela capacidade de bagunçar as defesas adversárias. E o triunfo foi concluído com um gol de Daniel Sturridge, que já mostrou como sua penosa ausência por causa das lesões poderá ser recompensada rapidamente. Ainda assim, Coutinho acabou como o melhor em campo. O tento de Sterling nasceu em uma assistência espetacular do meia, lançando por cima de defesa, enquanto ele também foi o garçom de Sturridge, em uma enfiada de bola por entre a defesa dos Hammers.

O bom momento de Coutinho vem junto à ascensão do Liverpool. Nas últimas semanas, os Reds apresentam um futebol bastante intenso, de muita velocidade pelas pontas. Precisam agradecer bastante à proteção que Lucas Leiva garante no meio-campo, assim como à aceleração de Sterling. Contudo, o camisa 10 também tem parte importantíssima neste processo. Afinal, mais do que se lançar em arrancadas e finalizar com qualidade, ele também faz o resto do time correr através de sua ótima visão de jogo. Não à toa, seus números melhoraram muito desde dezembro, enquanto foi o melhor do time nos ótimos jogos contra o Chelsea pelas semifinais da Copa da Liga, parando apenas em Courtois.

Por seu estilo de jogo, Coutinho não é exatamente um 10 clássico. O meio-campista contribui no trabalho de organização do time, mas também varia o seu jogo com as subidas pelas pontas e a participação nos arremates. Assim, aparece entre os cinco jogadores do Liverpool que mais finalizam e que mais criam oportunidades de gol para os companheiros. No futebol dinâmico da Premier League, aparece entre os melhores desses “camisa 10 múltiplos”, que não se encarregam apenas da armação – como Fàbregas, David Silva, Cazorla, Eriksen ou Rooney.

Se os Reds sustentam sete partidas de invencibilidade na Premier League, a importância do jovem meia é evidente, com um gol e quatro assistências desde então. Neste momento, o Liverpool aparece a apenas quatro pontos da zona de classificação da LC, com um jogo a mais que o Southampton. As chances seguem reais.

E, levando em conta a seleção brasileira, cada vez mais Coutinho se candidata a ter espaço na equipe de Dunga. Se Luiz Felipe Scolari ignorou o meia na temporada passada, quando também brilhava pelo Liverpool, sua convocação parece ainda mais necessária atualmente. Oscar não satisfez totalmente na criação do time durante a Copa do Mundo, e trabalha no Chelsea se encarregando mais do ritmo do meio-campo. Embora ocupe a mesma faixa de campo de Neymar, Coutinho poderia ser testado justamente em suas funções do Liverpool, armando e arrancando pelos lados. Por tudo o que vai jogando em Anfield, seria um ganho e tanto para a Seleção.