O Paraguai fracassou nas Eliminatórias para a Copa de 2018, entregando a chance de ouro na última rodada. No entanto, possui margem à ascensão. Há um bom número de jogadores na casa dos 25 anos e o próprio desempenho no qualificatório passado indicou uma evolução. Nomes como Gustavo Gómez, Fabián Balbuena, Miguel Almirón, Óscar Romero, Antonio Sanabria, Derlis González e Héctor Villalba puxam a fila desta geração. Ainda assim, o sucesso dos clubes guaranis na Copa Libertadores não passa batido. E seus reflexos ficaram claros na pré-convocação realizada por Eduardo Berizzo à Copa América de 2019. Até como uma forma de reconhecimento, Roque Santa Cruz e Óscar Cardozo estão incluídos.

Não se nega que as duas lendas mereçam o espaço. Ambos atravessam uma excelente fase. Santa Cruz liderou o Olimpia ao tricampeonato nacional, em sequência de títulos que não acontecia com o clube desde 2000 – quando o artilheiro despontava. Ocupa o topo da artilharia no Torneio Apertura, com 10 gols, e também participa decisivamente na Libertadores. Aos 37 anos, até havia se despedido da seleção em 2016, com direito a mosaico no Defensores del Chaco, mas o bom momento o levou a se abrir às possibilidades. Da mesma forma, Tacuara Cardozo impulsiona o Libertad em sua caminhada na competição continental. Chegou a marcar até do meio-campo e acumula quatro tentos no torneio da Conmebol. Segue demonstrando a velha aptidão para balançar as redes.

Durante o anúncio da lista, Berizzo disse que espera contar com ambos não só por suas figuras: “Futebolisticamente, penso que Roque e Tacuara podem me ajudar. Não importa a idade que tenham, o mais importante é o estado físico e o bom momento. Tive um contato pontual com Roque. É uma lista preliminar, mas contamos com ele. De nada serviria incluir alguém que só daria apoio moral”. Dentre os 40 chamados, há ainda mais quatro jogadores do Olimpia, mais um do Libertad e dois do Cerro Porteño.

O Paraguai possui opções razoáveis para o comando do ataque. Antonio Sanabria não atravessa uma boa temporada, emprestado do Betis ao Genoa, mas é um jogador promissor. Federico Santander rodou bastante e agora marca seus gols pelo Bologna. Por fim, há a ascensão de Carlos González com a camisa do Pumas. Nenhum deles, de qualquer forma, com a rodagem e a imposição dos veteranos. Santa Cruz e Tacuara representam a história à Albirroja. É isso que Berizzo valoriza, mesmo que sejam apenas mais dois nomes na inchada lista de 40 selecionáveis.

Cardozo é o mais propenso a ser convocado. Aos 35 anos, o centroavante não atua pela Albirroja desde 2017. Chegou a marcar gol contra a Colômbia nas últimas Eliminatórias, quando já havia retornado ao Libertad. Santa Cruz, em contrapartida, tem problemas físicos. Ele vinha tratando privadamente de uma lesão nos joelhos e aguardava a pausa da temporada para realizar uma cirurgia na Espanha. Ainda irá se apresentar aos primeiros treinamentos com Berizzo, mas a situação não está definida.

“A convocação está feita e fico honrado, vou me apresentar. Mas a cirurgia é uma possibilidade, porque prefiro prolongar minha carreira. Caso eu me submeta, alteraria muito minha preparação à Copa América”, declarou Santa Cruz. Outra dúvida importante de Berizzo será em relação a Miguel Almirón. O meia do Newcastle se machucou no final da temporada da Premier League e tenta se recuperar a tempo.

A chegada de Berizzo indica um novo projeto ao Paraguai. O treinador possui uma mentalidade mais ofensiva e tentará reconstruir o time às Eliminatórias. Todavia, quer se cercar dos decanos no início desta jornada. Santa Cruz e Cardozo são um sinal mais do que concreto quanto a isso. A Albirroja disputará amistosos contra Honduras e Indonésia antes da Copa América. Já na fase de grupos, enfrentará Argentina, Colômbia e Catar.