O Palmeiras esteve a centímetros de derrotar o Corinthians, quando Deyverson cabeceou bem o cruzamento de Dudu, nos minutos finais do dérbi paulista deste domingo, em Itaquera, mas Cássio não deixou. Não deixou ao longo de toda a partida, mas especialmente a última defesa foi especial, com a ponta dos dedos, por cima do travessão, para manter o placar de 1 a 1.

Seria a primeira vitória com consequência do Palmeiras sobre o Corinthians treinado por Fabio Carille. Nos outros oito clássicos em que o treinador esteve no comando do Timão, foram sete vitórias e uma derrota, no jogo de ida da final do Campeonato Paulista do ano passado. Como o Corinthians terminou com o título, não adiantou para muita coisa.

Em má fase, o Palmeiras não fez um jogo ruim em Itaquera. Começou melhor a partida e exigiu a primeira grande defesa de Cássio, em um chute cruzado e rasteiro de Willian. Logo na sequência, Manoel aproveitou a nova fragilidade defensiva alviverde na bola aérea para abrir o placar, desviando de cabeça na primeira trave.

Depois do primeiro gol, o ímpeto palmeirense arrefeceu, e o Corinthians teve o controle até o fim do primeiro tempo. Weverton precisou fazer algumas defesas, a melhor delas em um desvio de Vagner Love, em cobrança de falta para dentro da área. A reação veio depois do intervalo. Deyverson recolheu pela esquerda e cruzou bem para Felipe Melo aparecer na entrada da pequena área como um foguete para fazer o gol de empate.

As melhores chances até o fim do jogo foram do Palmeiras, ambas de cabeça, ambas em cruzamentos de Dudu, ambas defendidas por Cássio. Gustavo Gómez tentou a primeira, e o goleiro corintiano espalmou para a frente. E a defesa já descrita, aos 48 minutos do segundo tempo, para garantir o empate.

O Palmeiras não vence pelo Brasileirão há quatro rodadas e, mais preocupante ainda, levou gol em seis dos últimos sete jogos. O Corinthians está invicto desde a retomada após a Copa América.