O Napoli reforçou suas credenciais na Liga Europa, com uma vitória contundente sobre o Salzburg

O time da Red Bull não jogou mal no San Paolo, mas esbarrou em Meret e viu o Napoli aproveitar muito bem os seus momentos

A queda na Liga dos Campeões foi dolorosa ao Napoli, da mesma maneira como a distância em relação à Juventus nesta temporada não permite sonhar com o Scudetto. Assim, resta a Liga Europa. E o torneio, marco na história dos celestes durante a época de Maradona, soa como um desejo palpável – além de bastante atraente. Os celestes não devem nada para os principais concorrentes na competição e possuem qualidade para ficar com a taça. Uma boa mostra disso veio nesta quinta-feira, no primeiro jogo das oitavas de final. O Red Bull Salzburg vem de uma ótima fase de grupos e é tarimbado no certame, especialmente após a campanha até as semifinais na edição passada. Acabaram não sendo páreos aos partenopei dentro do San Paolo. O time de Carlo Ancelotti aplicou uma contundente vitória por 3 a 0, embora tenha contado com a importante participação do goleiro Alex Meret.

O Salzburg começou a partida com uma excelente postura, agressiva, na tentativa de pressionar o Napoli. Meret precisou trabalhar em arremates de Hannes Wolf e Munas Dabbour, enquanto a saída de bola dos celestes era dificultada pela intensidade dos visitantes. Os italianos ao menos não demoraram para responder e abriram vantagem rapidamente, algo essencial para o triunfo. O primeiro gol saiu aos 10 minutos, logo em uma de suas primeiras subidas ao ataque. Em boa troca de passes, Dries Mertens deu uma baita enfiada de bola a Arkadiusz Milik, que ficou de frente para a meta e definiu. O momento se tornou favorável aos napolitanos, que aproveitaram, martelando. Aos 20 minutos já ampliaram. José Callejón ajeitou e Fabián Ruiz acertou um belo chute de primeira, da entrada da área. A bola passou por um monte de gente e morreu nas redes, sem que o goleiro Alexander Walker evitasse.

Com a diferença estabelecida, o Napoli relaxou e o Salzburg voltou a crescer, principalmente no início segundo tempo. Esbarrou na boa atuação de Meret, que evitou com as pernas o gol de Dabbour. A situação ficaria ainda mais tranquila ao Napoli aos 13 minutos, graças a uma trapalhada de Jerôme Onguéné. Em péssima noite, o zagueiro fechou os olhos e cabeceou contra as próprias redes. O quarto gol poderia ter vindo com Callejón, num bonito chute, mas André Ramalho salvou em cima da linha. De qualquer maneira, os minutos finais penderam aos Touros Vermelhos, que não conseguiram descontar. Fredrik Gulbrandsen triscou a trave, enquanto Meret faria mais duas ótimas defesas antes do término do duelo.

O Red Bull Salzburg possui um time de muita qualidade que, acima de tudo, é otimamente treinado por Marco Rose. Tem ritmo ofensivo e sabe trabalhar sem a bola, ocupando os espaços. Todavia, sua missão na Áustria se torna praticamente impossível. O Napoli tem mais capacidade individual e um gol causará um estrago gigantesco na Red Bull Arena, exigindo cinco dos anfitriões. Se Meret mantiver o alto nível, os Touros Vermelhos estarão distantes de sua tarefa.