O Manchester United de José Mourinho possui um apreço especial em flertar com o vexame. E não seria diferente neste sábado, durante a visita ao Bournemouth. Os Red Devils faziam um início de jogo horrível, à mercê de uma das surpresas desta temporada da Premier League. A desvantagem seria inescapável. Entretanto, outra virtude desta equipe dos mancunianos tem sido a de reagir, transformando vitórias teoricamente protocolares em épicos. Foi o que ocorreu em Dean Court. Com um gol nos acréscimos do segundo tempo, Marcus Rashford garantiu a virada por 2 a 1, que melhora um pouco a situação de sua equipe na tabela.

A primeira meia hora de jogo ofereceu um vareio do Bournemouth. O time de Eddie Howe atacava com velocidade e criava constantes problemas à defesa do United. A pressão gerou várias chances de gol, com David de Gea ajudando a evitar um estrago maior. Ainda assim, o goleiro não teria o que fazer quando Callum Wilson abriu o placar, aos 11. Após cobrança de escanteio, a defesa afastou parcialmente, mas se abriu. Os rubro-negros aproveitaram a sobra e Junior Stanislas cruzou para o centroavante concluir dentro da área. Nada mais do que merecido, diante da postura agressiva dos anfitriões, que até poderiam ter construído uma vantagem maior.

O United começou a equilibrar o jogo nos 15 minutos finais do primeiro tempo. Finalmente conseguia realizar as transições ofensivas e seus homens de frente passaram a ser mais acionados. Assim, o empate aconteceu aos 35 minutos. Alexis Sánchez recebeu na direita e, dentro da área, cruzou para Anthony Martial encher o pé. O atacante referenda a sua boa sequência com os Red Devils, anotando mais um gol, em momento no qual negocia sua renovação de contrato. São cinco tentos nas últimas cinco partidas.

Já no início da segunda etapa, depois de um bom lance do Bournemouth, o Manchester United mostrava a sua capacidade para virada. Chegou a carimbar a trave com Ashley Young, enquanto a defesa do Bournemouth se safaria no limite várias vezes, com dois chutes afastados na pequena área e boas intervenções de Asmir Begovic. Mourinho apostou em jogadores mais leves na reta final do jogo, com as entradas de Jesse Lingard, Ander Herrera e Marcus Rashford – desta vez, surpreendentemente, Romelu Lukaku nem no banco ficou. Pois Rashford seria o responsável pelo ‘Mou Time’. A virada aconteceu aos 46. Paul Pogba cruzou na esquerda e o atacante demonstrou uma calma imensa, ao dominar a bola dentro da área, antes de superar o goleiro.

O Manchester United assume provisoriamente a sétima colocação com a vitória deste sábado. Soma 20 pontos, igualado ao próprio Bournemouth, mas atrás no saldo de gols. Podem ser ultrapassados apenas pelo Watford no momento. Sossego importante para que os Red Devils se concentrem na grande exigência dos próximos dias: o encontro com a Juventus pela Liga dos Campeões, em Turim. Não poderão dar tanta margem ao erro, como aconteceu neste sábado.