Se Internazionale, Juventus e Napoli seguem invictos na divisão da liderança do Campeonato Italiano, o Milan continua dando sinais de que está à espreita para aproveitar qualquer vacilo dos três que despontam na Serie A. A equipe rossonera provou isso neste domingo, vencendo a Udinese por 2 a 1 e mantendo a quarta posição, com nove pontos. Uma vitória já dura – que poderia nem ter sido vitória, não fossem as aparições fundamentais dos recursos tecnológicos para auxiliar a arbitragem, em dois momentos cruciais.

O primeiro deles poderia ter colocado os visitantes friulanos na frente. Aos 10 minutos, Kevin Lasagna apareceu livre após lançamento e mandou a bola para as redes. Antes de Lasagna sair para comemorar, porém, o juiz Marco Guida decidiu usar o VAR, para ver se houvera impedimento no lançamento. Houvera, e o placar voltou ao 0 a 0. Depois, o Milan teve a chance: aos 19, Nikola Kalinic completou na trave, e depois Leonardo Bonucci aproveitou a sobra, para Jakub Jankto tirar em cima da linha. A tecnologia “hawk-eye” seguiu todo o lance… e a bola não entrou mesmo.

Kalinic só pôde comemorar em definitivo aos 22, quando recebeu passe de Davide Calabria para dividir com a defesa adversária e fazer o 1 a 0 milanista. E Lasagna, por sua vez, recebeu ótimo passe de Romagnoli aos 28, para marcar o gol que enfim valeu, no 1 a 1 do time de Udine. Todavia, Kalinic riu por último: pouco depois, aos 31, Suso cobrou escanteio, Franck Kessié desviou, e o atacante croata marcou o gol do 2 a 1. Vitória para o Milan – e para a tecnologia.