O Union Berlim não deu exatamente muita sorte com a tabela. Pegou dois candidatos ao título nas três rodadas iniciais e deveria estar preparado para esperar um pouco pela oportunidade de vencer seu primeiro jogo na história da Bundesliga. Não precisou esperar tanto, nem pode reclamar da vítima. Neste sábado, o mar vermelho do estádio An der Alten Försterei ferveu ao assistir ao caçulinha batendo o atual vice-campeão Borussia Dortmund, por 3 a 1.

A atmosfera foi espetacular no segundo tempo, à medida em que o Union Berlim castigava as imperdoáveis falhas da defesa do Borussia Dortmund, grande gargalo que impediu o título alemão na temporada passada e ainda não parece ter sido corrigido, com cantos constantes e palmas acima da cabeça. O sentimento foi muito bem traduzido pela reação dos gandulas registrada pelas câmeras ao terceiro gol, marcado por Sebastian Andersson.

A força da retaguarda dos donos da casa limitou o poderoso ataque do Borussia Dortmund, que esteve longe de ser impecável na defesa. Tanto que permitiu, logo aos 22 minutos do primeiro tempo, que Marius Bülter completasse uma cobrança rasteira de escanteio, dentro da área, como se ele estivesse jogando uma versão ampliada de futebol de salão. Logo em seguida, porém, Sancho cruzou da direita e Alcácer se esticou para empatar.

No começo do segundo tempo, Manuel Akanji foi muito mal duas vezes. Primeiro, errou o domínio, ou o passe, um dos dois, e permitiu o contra-ataque do Union Berlim. Em seguida, foi facilmente batido por Andersson, que parou na saída do goleiro Bürki. Bülter pegou o rebote e fez 2 a 1 para os donos da casa. O Dortmund tentou o empate, mas, sem inspiração, não criou muitas chances claras e, novamente, vacilou na defesa. Sheraldo Becker tabelou e apareceu livre pela esquerda com um cruzamento rasteiro que encontrou Andersson, também bem soltinho, para fechar o placar.

E levar o An der Alten Försterei à loucura.

.

.

.