O Liverpool outra vez sofreu, mas desta vez conseguiu a virada para cima do Sheffield United em Anfield

O Liverpool atravessa um momento de questionamento, com os 7 a 2 do Aston Villa simbolizando um trauma, mas também dúvidas se é possível repetir o sucesso da temporada passada. Neste sábado, os Reds recebiam o Sheffield United em Anfield. E os visitantes foram valentes, apesar da situação ruim na tabela da Premier League. O time de Jürgen Klopp ficou atrás no placar e correu riscos de ver a diferença aumentar, mas conseguiu buscar a virada por 2 a 1. O novato Diogo Jota saiu como herói, ao anotar o gol do triunfo, bem servido pelo decisivo Sadio Mané.

Seria um começo de jogo favorável ao Liverpool, em que os anfitriões criavam boas jogadas e forçavam a defesa do Sheffield United a se safar no limite. Sadio Mané quase marcou numa saída desesperada de Aaron Ramsdale e o goleiro precisou se esticar para evitar um golaço de Trent Alexander-Arnold do meio do campo. Entretanto, a história do embate mudaria aos 11 minutos. Fabinho disputou com Oli McBurnie no limite da grande área, num lance em que poderia se discutir se o brasileiro não visou primeiro a bola. Mike Dean marcou a falta e a decisão foi para a revisão do VAR. As imagens não permitiam a conclusão de que a disputa aconteceu em cima da risca, mas ainda assim a infração foi revertida como pênalti, para a insatisfação dos Reds. Sander Berge venceu Alisson na marca da cal.

O gol esfriou o Liverpool, que perdeu o ímpeto visto antes. O Sheffield United, pelo contrário, poderia muito bem ter aumentado a vantagem por volta dos 20 minutos. McBurnie desperdiçaria a chance do segundo num chute cruzado de dentro da área e Alisson realizou ótima defesa depois que Ben Osborn completou um cruzamento com um sem-pulo. Os Reds tinham a posse de bola, mas eram lentos na construção. E as Blades ainda reclamariam de outro pênalti numa disputa de Diogo Jota com Berge. Nada foi anotado e, logo na sequência, saiu o empate.

Jordan Henderson cruzou a bola e Sadio Mané cabeceou firme, para ótima defesa de Aaron Ramsdale. Porém, o goleiro rebateu para frente e Roberto Firmino aproveitou o rebote para igualar aos 41. Os Reds ainda esboçaram a virada na sequência. Mohamed Salah disparou e bateu na saída de Ramsdale. O goleiro defendeu, mas o egípcio também estava impedido. De qualquer forma, não parecia simples superar os oponentes, diante da exibição segura do Sheffield United.

O segundo tempo seguia perigoso ao Liverpool, com mais posse de bola, mas menos eficiência que o Sheffield. Os visitantes tiveram boas investidas e ameaçaram a defesa adversária, que segurou as pontas. A história do jogo mudaria só a partir dos 17. Salah foi o primeiro a balançar as redes, a partir de um ótimo lançamento de Alexander-Arnold, mas o lance acabou anulado por um impedimento milimétrico. Dois minutos depois, Mané cruzou com precisão e Diogo Jota concluiu de cabeça para as redes, agora para a virada valer de verdade. Seria um alívio aos Reds, mas não a garantia do resultado.

O Sheffield United, afinal, continuou tentando. David McGoldrick quase marcou logo após sair do banco, aos 31. O Liverpool ao menos tinha mais espaço aos contra-ataques e também ficou perto do terceiro aos 35. Em grande lance individual, Salah passou por John Egan e bateu na saída de Ramsdale com muito capricho, mas carimbou a trave. As Blades, contudo, não tiveram fôlego para seguir pressionando até o final e não fariam muito mais para tentar a igualdade. Alívio aos anfitriões em Anfield.

O Liverpool termina o sábado na segunda colocação da Premier League. Os atuais campeões têm 13 pontos, igualados ao Everton, mas atrás no saldo. O Aston Villa, com um jogo a menos, ainda pode ultrapassar os Reds quando cumprir seu duelo atrasado. Já o Sheffield United teve uma atuação acima do que sua condição na tabela indica. Depois da boa campanha passada, o time de Chris Wilder pena em seu segundo ano na elite e é o vice-lanterna, com apenas um ponto.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore