A torcida do Liverpool já canta em Anfield pedindo a cabeça de Brendan Rodgers. Diante do mau início na Premier League, o Liverpool deu mais um motivo e para a bronca com o técnico. Jogando em casa, os Reds precisaram dos pênaltis para eliminar na Copa da Liga Inglesa o Carlisle United, da quarta divisão inglesa. Donos da pior defesa no último nível profissional da liga, os visitantes seguraram o empate por 1 a 1 ao longo dos 120 minutos. Noite vexatória para o Liverpool, especialmente pelo péssimo desempenho de seu ataque.

Com Danny Ings, Roberto Firmino e Adam Lallana formando o ataque titular, o Liverpool precisou de 23 minutos para abrir o placar, em cabeçada de Ings. Entretanto, cedeu o empate apenas nove minutos depois, com Derek Asamoah aproveitando as brechas na defesa. E, depois disso, os Reds não conseguiram converter o domínio em gols. Foram inacreditáveis 47 finalizações ao longo dos 120 minutos, mas poucas criando reais perigos à meta de Gillespie. O time de Brendan Rodgers teve aproveitamento de 2,13% nos chutes, quase um décimo da efetividade do Carlisle – que chutou cinco vezes para fazer seu gol, aproveitando 20%.

Nos pênaltis, o goleiro Adam Bogdan brilhou, defendendo três cobranças. Mas até mesmo a precisão do Liverpool na marca da cal não estava boa, com dois erros, de Philippe Coutinho e Lallana. Ao menos, veio a classificação com a vitória por 3 a 2. Agora, é ver se a profecia dos torcedores vermelhos se cumpre, quando cantavam que “Brendan Rodgers seria sacado pela manhã”. A diretoria precisa ponderar se a confiança no projeto do treinador supera mesmo os resultados que não vêm. Carlo Ancelotti e Jürgen Klopp já começam a ser especulados.