A Índia participa da Copa da Ásia apenas pela quarta vez em sua história. Foi vice-campeã em 1964, em tempos incipientes do futebol asiático. Retornou depois em 1984 e 2011, sem conquistar uma vitória sequer. E a mera presença em 2019 já parecia algo suficiente aos indianos, com a equipe encarando algumas crises recentes e rusgas do elenco com o treinador. A estreia dos Tigres Azuis no torneio continental, todavia, serviu para animar a sua torcida. No duelo contra a Tailândia, a Índia comemorou o triunfo por 4 a 1, o seu primeiro na Copa da Ásia em 55 anos. Mais uma vez, a equipe foi liderada pelo lendário Sunil Chhetri, recordista em jogos e gols da seleção.

O primeiro gol da Índia aconteceu aos 27 minutos, em primeiro tempo que via os tailandeses levarem mais perigo. Um pênalti discutível por toque de mão, que Chhetri converteu. Com o tento, o atacante superou Lionel Messi e se tornou o segundo jogador na ativa com mais gols por sua seleção, abaixo apenas de Cristiano Ronaldo. Seis minutos depois, a Tailândia empatou com um gol de cabeça de Teerasil Dangda – também símbolo de sua seleção. Todavia, os Tigres Azuis impuseram o seu domínio na segunda etapa. Logo no primeiro minuto, Chhetri fez mais um, num belo chute de primeira. Chegou a 67 gols com a equipe nacional, um a menos que Gerd Müller pela Alemanha.

Na reta final da partida, outros assumiram o protagonismo e ampliaram a goleada da Índia. Aos 23, em bem armado contra-ataque, Udanta Singh ajeitou para Anirudh Thapa e o camisa 7 bateu com categoria, encobrindo o goleiro tailandês.  Já o quarto gol aconteceu aos 35, com Jeje Lalpekhlua, batendo da entrada da área. Como era de se esperar, o apito final provocou uma grande comemoração dos Tigres Azuis. Em meio aos abraços, os indianos receberam amplos aplausos dos compatriotas presentes nas arquibancadas em Abu Dhabi e comandaram as palmas, repetindo o ritmo da seleção islandesa.

Em 2018, a derrota da Índia para Maldivas na final da Copa SAFF (torneio regional do sul da Ásia) deixou reticências sobre o verdadeiro potencial da equipe. Contudo, considerando que os três melhores colocados avançam aos mata-matas, os Tigres Azuis podem vislumbrar até mesmo a classificação no Grupo A. Para tanto, deverão demonstrar a mesma força contra Emirados Árabes Unidos e Bahrein, adversários bem mais qualificados. Evitar goleadas pode ser essencial, neste sentido. A Tailândia, por outro lado, amplia a noção de resultados decepcionantes ao redor de sua seleção. Apesar dos jogadores renomados no âmbito regional e da presença do técnico Milovan Rajevac, quadrifinalista da Copa de 2010 com Gana, os tailandeses são candidatos a saco de pancadas.