Entre a paralisação do futebol e a má fase do Leicester, Jamie Vardy precisou esperar por quase quatro meses até que seu 100° gol pela Premier League saísse. Veio graças a uma pixotada enorme de Mamadou Sakho, neste sábado, para o artilheiro apenas empurrar para dentro. Em compensação, o 101° aconteceria logo na sequência e representaria as virtudes que tanto nos acostumamos a ver: a arrancada fulminante, sem que nenhum marcador chegasse nem perto de acompanhá-lo, e a finalização gelada diante do goleiro, num toquinho por cima que deixou Vicente Guaita totalmente no vácuo.

Depois de tanto tempo aguardando, o Leicester pôde preparar uma homenagem especial a Vardy. Entregou um troféu “Raposa de Prata” para celebrar o feito, de beleza duvidosa, mas sem dúvidas de reconhecimento imenso por seus serviços prestados. E também produziu um vídeo para relembrar essa trajetória ao 100° gol na Premier League: uma versão de “Street Fighter”, em que os grandes momentos do artilheiro na caminhada viraram objetivos no videogame. Afinal, não são poucos os tentos marcantes do matador revelado pela non-league.

O que alcançou Vardy é simbólico, ainda mais para um jogador que nunca tinha disputado um jogo de Premier League até os 27 anos. Mais simbólico ainda pelo protagonismo do centroavante no título até hoje inacreditável do Leicester. E mais ainda por, aos 33 anos, o inglês seguir atuando em altíssimo nível pela camisa que virou sua segunda pele. Vardy recusou propostas de times maiores e, a esta altura, é muito difícil crer que ele deixará o Estádio King Power antes da aposentadoria. Não é exagero colocá-lo como o maior ídolo da história do Leicester. Um exemplo de dedicação, e que representa demais a camisa que veste.

Abaixo, o vídeo do “Street Fighter” Jamie Vardy e também outros quatro, com os primeiros 99 gols divididos em três partes, além dos melhores momentos da partida em que atingiu os 100 e os 101. É bacana notar na compilação como o camisa 9 confia em seu próprio instinto, e como também os companheiros sabem o que fará. O 50° tento, num lance em que Riyad Mahrez tem total certeza de que Vardy ganhará na corrida, é emblemático.

Os predicados ficam bem expressos: a aceleração máxima, a capacidade em conduzir a bola em velocidade, a predileção por encobrir os goleiros, a precisão para resolver com um toque, o senso de posicionamento, a potência no chute, a impossibilidade de haver lances perdidos. E mostram também certa adaptação do matador, entre o homem explosivo que dinamitava os contra-ataques nos tempos de Claudio Ranieri ao goleador à espreita nas trocas de passes de Brendan Rodgers. Vale muito conferir. Bacana pensar que os 100 chegaram e que, com sua média ótima, Vardy continuará passando lendas. Ao menos os 150, entrando com isso no Top 10 da era Premier League, parecem bem possíveis até o fim de sua carreira.

A versão de Street Fighter

Os gols deste sábado

A compilação, em três partes, dos primeiros 99 gols