Quatro temporadas depois de concretizar um dos maiores milagres da história do futebol, o Leicester City volta a encantar o planeta. Mas se o deslumbramento nos tempos de Claudio Ranieri era fruto do inesperado ímpeto das Raposas, o time de Brendan Rodgers provoca novos tipos de sensações. O Leicester, agora, é uma das equipes que melhor tratam a bola na Europa. Tocam com qualidade, envolvem defesas, empilham gols. E outra vitória maiúscula aconteceu neste sábado, dentro do Estádio King Power. O Arsenal em crise parecia a presa perfeita ao ataque azul. Pois os anfitriões botaram os Gunners na roda, em vitória por 2 a 0 que contou com lances de pura qualidade, e chegaram à vice-liderança da Premier League.

Diante dos constantes tropeços recentes e dos problemas internos, o Arsenal bem que tentou evitar outro revés no Estádio King Power. O jogo teve minutos iniciais mais abertos e não seria surpreendente se os Gunners saíssem na dianteira. O Leicester ficava com a posse de bola, mas via o ataque adversário ameaçar com sua velocidade. Alexandre Lacazette teve excelentes oportunidades de marcar e, na melhor delas, incrivelmente mandou para fora.

Depois de 20 minutos em que o Arsenal encontrava as suas brechas, o Leicester passou a não dar mais chances aos visitantes. Foi um domínio só da equipe de Brendan Rodgers, que acertou seu jogo. Mandava as ações no campo de ataque e não dava respiro à saída de bola dos londrinos. Apesar dos muitos erros forçados, as Raposas só precisavam criar lances mais claros de gol. Ayoze Pérez chutou para fora o melhor deles. Os Gunners se safavam ao não encerrar a primeira etapa em desvantagem.

No início do segundo tempo, o aviso. Wilfred Ndidi carimbou o travessão para o Leicester. O Arsenal até buscou recobrar os sentidos durante os primeiros minutos, e teve um gol de Pierre-Emerick Aubameyang anulado, além de um chute perigoso de Hector Bellerín. Contudo, de novo arrefeceu e ficou nas cordas quando as Raposas iniciaram sua surra. A partir dos 20 minutos, o time de Brendan Rodgers apresentou o fino trato da bola.

A começar pelo primeiro gol do Leicester, aos 23. A jogada nasceu com toques de pé em pé, e muita movimentação dos azuis para encontrarem os espaços na zaga. Após uma linda tabela entre Youri Tielemans e Harvey Barnes, Jamie Vardy estava só esperando para escorar no segundo pau. Não desperdiçou. O artilheiro da Premier League chega a 11 gols em 12 rodadas.

Bernd Leno evitou que Vardy anotasse o segundo na sequência, mas o Leicester ampliou logo aos 30, em outra trama coletiva. Ndidi começou o lance ao recuperar a bola no meio e limpar a marcação na marra. A jogada seguiria com um lindo passe rasante de Ricardo Pereira, para Vardy dentro da área. Pois o centroavante também sabe ser um bom garçom e, após dominar, rolou para James Maddison chutar da entrada da área. A bola passou por entre as pernas do marcador e não deu chances ao goleiro. Bastava. As Raposas seguiram no comando e, se o terceiro tento viesse, seria para a equipe. Mas já estava de bom tamanho.

A diferença entre os times se reflete na tabela. O Leicester assume provisoriamente a segunda colocação. Tem os mesmos 26 pontos do Chelsea, mas vantagem no saldo de gols. Espera para saber se fica mais perto do Liverpool ou se ultrapassa mesmo o Manchester City após o duelo deste domingo. Já o Arsenal é o sexto colocado, superado pelo Sheffield United. Pode ainda perder mais uma posição para o Brighton neste domingo. Situação ruim, que dá mais base à insatisfação com Unai Emery. Depois de um início promissor com o clube, a situação do comandante parece cada vez mais insustentável. A diferença deste sábado foi gritante.

Classificações Sofascore Resultados