A garotada do Flamengo, outra vez, teve uma atuação para encher os torcedores rubro-negros de orgulho. De novo com uma escalação desfigurada, com poucos medalhões entre os titulares, o time dirigido pelo assistente Jordi Guerrero brilhou. E desta vez não apenas para vencer, como também para devolver a goleada sobre o Independiente del Valle – ainda que o placar tenha sido inferior. Arrascaeta, Gérson, Thiago Maia, Pedro e Gabigol, além do substituto Bruno Henrique, lideraram o expressinho dentro de campo, novamente gratos à firmeza transmitida pelo goleiro Hugo Souza na meta. Atropelaram os equatorianos por 4 a 0 no Maracanã, em partida eficiente e consciente. Com a combinação de resultados na rodada, o Fla garantiu a classificação antecipada aos mata-matas da Libertadores.

O Flamengo precisava confiar outra vez em uma escalação recheada de garotos. Alguns jogadores recuperados de COVID-19 até apareceram no banco de reservas, embora a grande novidade fosse Gabigol, voltando de lesão e titular no ataque. No mais, a “experiência” era representada por Arrascaeta, Thiago Maia, Gérson e Pedro – em meio a vários meninos formados no Ninho, com destaque a Hugo Souza, grande figura no empate contra o Palmeiras no domingo. Já o Independiente del Valle precisou se virar também com oito desfalques pela COVID-19, embora a maioria reserva. Miguel Ángel Ramírez repetiu nove titulares da goleada em Quito.

Desde os primeiros minutos, o Flamengo tinha uma postura vertical, mas sem se descuidar atrás. Os rubro-negros não partiam ao abafa na marcação, preferindo acelerar a partir da recuperação. E as primeiras chances logo apareceram, com Gabigol e Pedro se entendendo bem na linha de frente. O Independiente del Valle também buscava sair ao campo de ataque, trocando passes. Com a zaga sempre travando, as brechas aos equatorianos vinham em chutes de fora da área, mas Hugo Souza se garantia. O goleiro realizou duas boas defesas nos primeiros 12 minutos, em especial num chute desviado de Moisés Caicedo.

O Flamengo via Gérson fazer outra excelente partida, armando a equipe e organizando o jogo a partir da cabeça de área. De Arrascaeta era outro importante na construção das jogadas. E os rubro-negros não tinham receio de arriscar a gol, embora a boa apresentação não resultasse em tantas chances claras. Hugo Souza era mais exigido e voltaria a trabalhar bem aos 25, espalmando uma cobrança de falta de Cristian Pellerano que buscava o canto. Logo na sequência, o Fla abriria o placar.

O lance do gol seria assinado por Matheuzinho, em ótimo avanço pelo lado direito. O lateral cruzou e quem apareceu para arrematar foi Lincoln, mais um a contribuir bem com sua movimentação. O tento deu tranquilidade ao Flamengo, que exploraria o avanço do Del Valle em busca do empate para encaixar seu contra-ataque. Aos 31, Lincoln recuperou a bola no campo de defesa e Thiago Maia ligou o ataque com um baita lançamento. Conectou com Gabigol, que não seria nada egoísta e, diante da saída do goleiro Jorge Pinos, só rolou para Pedro ampliar.

O Flamengo tinha conforto para seguir sua estratégia, com a vantagem no placar. Poderia se defender mais recuado e partir em velocidade ao ataque. Quando precisava, Hugo Souza mantinha a meta intacta, como no lance em que cresceu para cima de Fernando Guerrero no mano a mano. Numa primeira etapa dos sonhos, o Fla só lamentaria a lesão de Gabigol pouco antes do intervalo. O atacante virou o pé no gramado irregular do Maracanã e acabou substituído por Bruno Henrique.

O segundo tempo aumentaria a autoridade do Flamengo, com o terceiro gol logo aos quatro minutos. Ramón descolou um cruzamento milimétrico a Arrascaeta, que chutou em cima do goleiro Pinos. Na sobra, Bruno Henrique não perdoou. Mesmo que o Independiente del Valle tentasse se lançar ao ataque, o Flamengo era inteligente para explorar os espaços e chegava fácil ao gol adversário, faltando só caprichar um pouco mais no passe final. Pedro quase fez o quarto, em cruzamento de Gérson, antes que Arrascaeta parasse em defesa de Pinos que por pouco não virou frango. Seguia uma atuação segura dos rubro-negros, com a responsabilidade chamada pelos mais rodados.

Se a defesa do Flamengo até então se protegia com perfeição, sobretudo no miolo da área, o Del Valle começou a encontrar um pouco mais de brechas após os 20 minutos. De novo, Hugo Souza apareceu. Fez outras intervenções seguras e importantes, contra Gabriel Torres e Edson Montaño. Ao mínimo indício de perigo, o Fla respondeu com o quarto gol. Arrascaeta fez um senhor lançamento para Bruno Henrique. Na entrada da área, o atacante cortou o goleiro Pinos e mandou para a rede.

Neste momento, os recuperados do Flamengo começavam a entrar – incluindo Mauricio Isla, Diego Ribas e Michael. Guilherme Bala foi outro a sair do banco e o atacante quase descolou uma assistência, em passe para Pedro que a zaga travou no momento exato. A partir de então, os rubro-negros tiraram o pé do acelerador, embora houvesse um desejo pelo quinto gol. O Independiente del Valle também preferiu se proteger um pouco mais, reforçando a defesa. Os equatorianos chegaram a ter um tento anulado por impedimento. Mas nada que mudasse o placar.

O Flamengo chega aos 12 pontos no Grupo A da Libertadores. Ultrapassa o Independiente del Valle, que fica com nove. O Junior de Barranquilla perdeu uma ótima oportunidade nesta quarta e estaciona com seis. Tudo porque o Barcelona de Guayaquil somou seus primeiros três pontos, ao derrotar os colombianos por 2 a 0 no Estádio Metropolitano Roberto Meléndez. Com isso, o Fla avança e joga pelo empate contra o Junior, na última rodada, para garantir a liderança.