O início de um dos maiores da história: Buffon completa 20 anos de carreira

Em julho de 1995, Buffon era integrado aos profissionais do Parma, para estrear já com uma partidaça contra o Milan de Capello

Deveria ser um dia de trabalho normal. Em 14 de julho de 1995, o Parma se preparava para mais uma temporada na fortíssima Serie A com um novo integrante em seu time profissional. Aos 17 anos, Gianluigi Buffon despontava como um promissor goleiro nas categorias de base. O garoto da cidade de Carrara chegara ao clube quatro anos antes, e atuou em diferentes posições até assumir as luvas – inspirado pelas atuações de Thomas N’Kono na Copa de 1990 e também pelas lesões dos goleiros de sua categoria. Naquele dia, começava a sua carreira como profissional. Para se tornar, 20 anos depois, não só um grande camisa 1, mas sim um dos melhores de todos os tempos.

VEJA TAMBÉM: Um grito resume os 14 anos de dedicação de Buffon na Juventus

Buffon não se tornou titular do Parma logo em sua primeira temporada. A concorrência era dura, com Luca Bucci no gol – o mesmo arqueiro que, em tempos de limite de estrangeiros, tomou o lugar de Taffarel anos antes. Só que o novato ganhou suas oportunidades naquele ano de estreia. A primeira delas, em uma enorme fogueira: sua primeira partida aconteceu contra o Milan de Fabio Capello, campeão da Champions no ano anterior, estrelado por craques do nível de Weah (vencedor da Bola de Ouro meses depois), Boban, Maldini, Desailly, Baresi, Albertino e Roberto Baggio. Buffon saiu como um dos melhores em campo, segurando o placar zerado. Em tempos muito mais generosos do Parma, também contou com a companhia de Fabio Cannavaro, Sensini, Dino Baggio, Stoichkov e Zola.

Durante um mês, enquanto Bucci esteve machucado, Buffon se manteve como titular do Parma. E voltou ao time para mais três jogos, em abril. O garoto disputou nove partidas, com oito gols sofridos. Para ganhar a posição já na temporada seguinte, em 1996/97. Mesma época em que também ganhou sua primeira chance na seleção italiana. A partir de então, Buffon decolou. Estourou no Parma, se tornou ídolo na Juventus e se eternizou na Azzurra. Aos 37 anos, com dezenas de títulos e prêmios individuais, o goleiro segue em grande forma. Para liderar a Juve, como capitão e muralha, em mais uma temporada. Foram duas décadas que não atrapalharam o desempenho de Buffon, mas transformaram sua história – e também dos lugares por onde passou.

Abaixo, dois vídeos: a grande atuação de Buffon em sua estreia, em novembro de 1995, e uma seleção de grandes defesas na última temporada