O Hoffenheim é um dos clubes mais odiados da Bundesliga. Assim como acontece com Grêmio Barueri, Boa Esporte, Audax ou qualquer do gênero no Brasil, o time da cidade de Sinsheim, 35 mil habitantes, é execrado pelos alemães pelo seu caráter empresarial. Fundado em 1899, só cresceu na década passada, depois que passou a ser bancado por Dietmar Hopp, magnata da informática. Sem história, mas com uma gestão capaz de colocá-lo na elite.

Na rodada final da Bundesliga, entretanto, os torcedores dos outros 17 clubes tiveram que aturar o milagre alcançado pelo Hoffenheim. Depois de prometer brigar por ligas europeias quando subiu, em 2006, o clube despencou de produção nessa temporada. Namorando com o rebaixamento desde o fim do primeiro turno e na zona da degola a partir da 23ª rodada, a equipe se safou apenas a dez minutos do fim do campeonato. Ao menos por enquanto.

A virada heroica sobre o Borussia Dortmund, dentro do Signal Iduna Park, veio a partir dos 32 minutos do segundo tempo. Sejad Salihovic empatou de pênalti e, cinco minutos depois, também foi para a marca da cal para confirmar a virada – quando Kevin Grosskreutz já estava no gol, após a expulsão de Roman Weidenfeller. No último lance, o arbitro ainda anulou um gol do Dortmund, garantindo a vitória dos visitantes por 2 a 1.

No lugar do Hoffenheim, o degolado foi o Fortuna Düsseldorf. Um clube de camisa bem mais pesada, dono de um título do Campeonato Alemão e dois da Copa da Alemanha, com 23 temporadas de Bundesliga no currículo. Depois de uma grave crise, o Flingeraner acumulou três acessos em nove anos, voltando à elite em 2012/13. Apontava uma campanha de meio de tabela, mas despencou na reta final, sem vencer desde a 22ª rodada. Perdeu para o Hannover 96 e entrou pela primeira vez na zona de rebaixamento justamente na rodada final.

E se a torcida alemã lamentou a queda do Düsseldorf, tem outra oportunidade para secar o “futebol moderno”. Por ter sido o antepenúltimo colocado, o Hoffenheim disputará a repescagem contra o terceiro colocado da segunda divisão, o Kaiserslautern. Sim, os Diabos Vermelhos, tetracampeões nacionais e clube do mito Fritz Walter, primeiro capitão alemão a erguer a Copa do Mundo. Não há dúvidas de quem a massa estará do lado nos dois jogos que selarão o último participante da Bundesliga 2013/14.