O Werder Bremen renasceu na última rodada da Bundesliga. Os Verdes só se interessavam pela vitória contra o Colônia, tinham que torcer pelo tropeço do Fortuna Düsseldorf e ainda precisavam tirar a diferença no saldo. Deu certo, entre a goleada por 6 a 1 sobre os Bodes e o revés de seus concorrentes diante do Union Berlim. Apesar disso, a combinação valeu somente a vaga nos playoffs contra o terceiro colocado da segunda divisão. A salvação estará consumada apenas se o Bremen superar o Heidenheim, responsável por fazer o Hamburgo amargar mais um ano longe da elite. Mas as dificuldades ficaram claras nesta quinta, no Weserstadion, e o primeiro duelo favoreceu o Heidenheim: o empate por 0 a 0 permitirá aos rubroazuis decidirem em casa, jogando por uma vitória simples.

O Heidenheim excedeu as expectativas durante o primeiro tempo e, dentro de sua estratégia, foi melhor que o Werder Bremen. Os primeiros 20 minutos não tiveram grandes emoções, mas a marcação reforçada com três zagueiros fazia efeito aos rubroazuis e eles até pressionaram em certos momentos no Weserstadion. O Bremen só passou a controlar mais a partida depois disso, mas também concedia espaços ao ataque do Heidenheim e Maurice Multhaup deu alguns sustos. Não era um jogo intenso, até pela forte chuva que caía e encharcava o gramado.

O segundo tempo voltou a ver o Heidenheim ofensivo durante os primeiros minutos, até que o Werder Bremen retomasse as ações. Milot Rashica aparecia um pouco mais, mas andava difícil romper a defesa adversária e a partida se concentrava na intermediária ofensiva dos Verdes. Além disso, o Heidenheim também dava suas escapadas e quase abriu o placar aos 29, em cruzamento de Marc Schnatterer que Patrick Mainka não conseguiu completar.

Durante os 15 minutos finais, o Werder Bremen insistiu um pouco mais, com seus lances partindo de bolas paradas. Fizeram pouco. E a situação piorou aos Verdes aos 42, quando Niklas Moisander recebeu o segundo amarelo. O capitão estará fora do segundo jogo. O Heidenheim pareceu disposto a aproveitar a vantagem numérica, mas os minutos finais teriam lances perigosos aos dois lados. O Bremen quase fez num erro do goleiro Kevin Müller. Josh Sargent bateu, mas Marnon Busch salvou em cima da linha. De qualquer forma, a pressão seria dos visitantes, num chute cruzado de Jonas Föhrenbach que acabou desviado e em cabeçada de Timo Beermann que saiu rente à trave.

O Heidenheim tem motivos para criar esperanças. O time apresentou sua consistência no Weserstadion e a vitória parece totalmente ao alcance durante o reencontro na próxima segunda-feira – embora o empate com gols favoreça o Bremen. Os rubroazuis tiveram ótimos resultados como mandantes na segundona, somando 11 vitórias e apenas duas derrotas nas 17 rodadas. O Hamburgo perdeu por lá na penúltima rodada e deixou seu aviso aos rivais. O Heidenheim pode se tornar apenas o quarto time da segundona a se dar melhor nos playoffs de rebaixamento, desde que eles foram estabelecidos em 2008/09, buscando repetir o feito do Union Berlim na temporada passada.