O Heerenveen lotou seu estádio com 15 mil ursinhos de pelúcia, que serão doados a crianças com câncer

Os portões do Estádio Abe Lenstra não estavam abertos neste sábado, com as novas medidas restritivas do coronavírus nos Países Baixos, mas o Heerenveen teve arquibancadas cheias para enfrentar o Emmen pela Eredivisie. Numa iniciativa louvável, o clube ocupou 15 mil assentos com ursinhos de pelúcia – todos devidamente uniformizados com a camisa alviazul. Os brinquedos fazem parte de uma campanha de conscientização e serão doados à Stichting Kinderen Kankervrij (KiKa), uma fundação que atende crianças com câncer.

Também na Eredivisie, o ADO Den Haag costuma fazer uma ação anual em que a torcida joga brinquedos no gramado e o clube doa a crianças hospitalizadas. Com o estádio sem torcedores em decorrência da segunda onda da COVID-19 nos Países Baixos, o Heerenveen decidiu realizar a ação em parceria com uma indústria farmacêutica que ajuda a KiKa com medicamentos e lotou as arquibancadas de bichinhos.

“Durante os primeiros meses da pandemia, muitas crianças com câncer ficaram invisíveis, porque o atendimento foi adiado. Infelizmente, agora estamos nesta situação novamente. Ao mesmo tempo, fomos apresentados aos estádios de futebol vazios. É por isso que nós encorajamos os jogadores com milhares de ursinhos da KiKa com a camisa do Heerenveen. E nós expressamos nosso apoio a todas as crianças com câncer, dizendo que não as esqueceremos”, declarou Frits Hirschstein, diretor e fundador da KiKa.

As pelúcias deram sorte: os alviazuis golearam o Emmen por 4 a 0, com direito a uma pintura de letra anotada por Rodney Kongolo. O Heerenveen protagoniza boa campanha na Eredivisie e ocupa a terceira colocação no campeonato, com 13 pontos em seis rodadas.