O Grêmio atravessa uma semana importante, mas sem o nível de exigência que poderia ter. Pelo Campeonato Gaúcho, a final contra o Brasil de Pelotas não impôs um desafio tão grande e os tricolores encaminharam a conquista já no primeiro jogo. E quatro dias depois da goleada por 4 a 0 sobre o Xavante, o time de Renato Portaluppi repetiu o placar pela Copa Libertadores. Estreando em casa na atual edição, os tricampeões continentais recobraram parte do prejuízo pelo tropeço na primeira rodada. Amassaram os venezuelanos do Monagas, por mais que os gols tenham demorado a sair na Arena.

Sem poupar forças, o Grêmio logo tomou conta do jogo. Tinha o domínio principalmente no meio-campo. O problema é que os gremistas encontravam dificuldades para abrir a defesa do Monagas. Bem fechados, os venezuelanos não concediam muitas brechas, travando as principais aproximações dos campeões. Além disso, os tricolores passaram a cometer erros bobos nos passes. Aos 26, os visitantes assustaram, quando Jhonder Cádiz apareceu livre para cabecear. Marcelo Grohe defendeu com segurança. Somente nos minutos finais é que os gaúchos arremataram um pouco mais, mas sem a precisão necessária. O goleiro Alain Baroja rebateu chute de Ramiro e Kannemann tiraria tinta na trave.

O desleixo do Grêmio acabou no segundo tempo, finalmente abrindo a retranca adversária. O time voltou do intervalo muito mais concentrado e não demorou a construir o resultado, trabalhando melhor as jogadas. Baroja fez uma boa defesa, antes de Jael inaugurar o placar aos cinco minutos. Bruno Cortez cruzou e o centroavante saltou de peixinho para completar na primeira trave. Logo na sequência, Luan ainda acertou a trave, após tabelar com Everton. E em meio à pressão, o segundo gol saiu aos 15. Maicon chutou forte e, no rebote do goleiro, Everton não perdoou. Prêmio para a boa atuação do atacante.

Era um festival de boas chances do Grêmio, que viu o adversário desmoronar. Baroja ia evitando um placar mais elástico, Jael não economizava nos chutes e Kannemann também carimbou o poste. Por fim, a goleada tomou forma a partir dos 40. Luan deixou o seu após um passe magistral de Arthur, por elevação, botando o companheiro na cara do gol. E coube a Cícero fechar a conta aos 44. Alisson ajeitou de cabeça e o veterano cumprimentou rumo às redes. A empolgação da torcida era evidente, pelo banho de bola tricolor na etapa final.

A vitória ainda não dá a liderança do Grupo 1 ao Grêmio. O time de Renato Portaluppi é o segundo colocado, com quatro pontos, dois a menos que o Cerro Porteño. O confronto mais importante para os tricolores acontece em duas semanas, quando o time visita Assunção e encara o Ciclón na Nueva Olla Azulgrana. O Defensor, com um ponto, tentará se aproximar recebendo o zerado Monagas no Uruguai.