Uma vantagem de 3 a 0 no placar. E poderia ser mais. O San Lorenzo ainda sonha com uma vaga, enquanto o Boca Juniors só lamenta não poder mais alcançá-la. Não é para menos, desde 2006, o gigante e mais popular clube da Argentina não ficava fora da Taça Libertadores da América.

A confirmação da perda aos poucos vinha se desenhando. Era difícil pensar que o time conseguiria reverter a situação depois de uma temporada em que os Xeneizes deixaram vir a tona todos os seu problemas, agravados pela série de contusões que atrapalharam o time em momentos importantes.

 Nacionalmente, os atuais 23 pontos conquistados que deixam o time a 13 do líder fazem com que o clube da Bombonera, pela segunda vez na década, termine um ano sem conquistar nenhum título. E o fracasso gerou questionamentos e muita especulação.

Entre os que valem a pena, o fato da equipe estar muito envelhecida (Abbondanzieri, 38 anos, Ibarra 36, Cáceres 31, Morel 32, Krupoviesa 31, Battaglia 30, Rosada 32, Insúa 30, Riquelme 32, Palermo 37), e que o treinador Alfio Basile, sofre por sua falta de espírito de renovação.O que não deverá acontecer tão cedo.

Muitos desses jogadores devem seguir no clube, entre eles Riquelme, que na quinta-feira, dia 3, afirmou que cumprirá seu contrato até meados de 2010. Abondanzieri fica também. O goleiro, aliás, é o atual porta voz do elenco. Em sua última entrevista, Pato declarou que o 4-3-1-2 de Coco Basile não funciona com equipes armadas na retranca, apesar de defender a permanência do treinador.

A crise financeira deixa tudo pior. Desde o início da temporada, o presidente José Beraldi briga pelo aumento do valor pago pelas emissoras de TV aos clubes argentinos. Sua proposta, quer elevar a cota de USS 70 milhões para USS 122 milhões, o que amenizaria as dívidas que engolem os principais clubes do país.

De qualquer forma, a ausência do mais temido rival, deixa as equipes brasileiras contentes, mas a Taça Libertadores perde muito de sua graça. Sem a “catimba”, sem La Bombonera e sem seu maior campeão.
 

Abraço Partido

Uma convocação, um abraço. Nesta quarta-feira, torcedores do San Lorenzo deram um abraço simbólico entre a rua Avelino Diaz e a Avenida La Plata em comemoração aos 30 anos da última partida no velho estádio do Gasômetro.