O Furacão buscou uma excepcional vitória no Mineirão e saiu da zona de rebaixamento no Brasileiro

O Athletico Paranaense deixou a Copa do Brasil de cabeça erguida, quase complicando a vida do favorito Flamengo mesmo quando poupou jogadores. Ficava claro que, se a postura intensa vista nos mata-matas se repetisse no Brasileirão, o Furacão poderia fugir da zona de rebaixamento. Nesta quarta-feira, os rubro-negros voltaram a respirar fora do Z-4 ao emendarem a terceira vitória consecutiva – e uma vitória maiúscula. Mesmo dentro do Mineirão, os visitantes derrotaram o Atlético Mineiro por 2 a 0, em duelo adiado pela sexta rodada. O bom primeiro tempo seria essencial, com os paranaenses abrindo a diferença logo cedo.

O Atlético Mineiro precisou lidar com vários desfalques nesta quarta-feira, entre os jogadores ausentes por causa da Data Fifa e também por um surto de COVID-19 no elenco. O próprio Jorge Sampaoli não estaria à disposição, cumprindo isolamento por contrair a doença. O Athletico Paranaense, apesar da alguns desfalques pontuais a Paulo Autuori, estava bem mais completo e se aproveitou da situação.

Sob forte chuva, o começo da partida seria truncado. O Galo tinha mais posse de bola e ficava no ataque, mas sem gerar grande pressão pelo excesso de erros na construção. No lance de maior perigo, Marrony errou o alvo. O Furacão conseguia escapar com velocidade e era mais ameaçador. Renato Kayzer deu um bom aviso aos 24, em tiro que passou muito próximo da trave. Os rubro-negros esperavam o momento certo para dar suas estocadas e abriram o placar aos 34. Lançado por Erick pela direita, Fernando Canesin chegou à linha de fundo e acionou Christian, livre no meio da área. O volante teve tempo de dominar e encher o pé, vencendo o goleiro Everson.

Logo na sequência, Guilherme Arana tentou responder, mas Santos fez ótima defesa. O Galo partiu para cima e parecia não ter sentido o gol adversário. Entretanto, não seria tão efetivo assim e concederia a brecha para que o Furacão ampliasse no início dos acréscimos. Nikão recebeu o passe de Renato Kayzer e foi avançando pela direita, com a defesa mineira recuando. Com espaço, o meia preparou o chute e ainda contou com um desvio na marcação para tirar a bola do alcance de Everson.

Para o segundo tempo, o Galo tentou consertar seu meio-campo com as entradas de Calebe e Nathan. Até criou as primeiras chances, mas também veria Nikão responder com um arremate perigoso de fora da área e Richard bater ao lado da trave. Se as transições rápidas do Furacão geravam oportunidades, o mesmo não poderia se dizer da criação dos mineiros. O time da casa dependia de chutes de média distância e, quando achou uma fresta na área, Santos fez boa defesa em pancada de Eduardo Sasha aos 17.

A maneira como o Athletico Paranaense trancou sua área e resistiu à insistência do Atlético Mineiro foi essencial à vitória. Mas não que o Galo exibisse o melhor de seu futebol, sem a intensidade vista em outros momentos deste Brasileiro e sem tanta qualidade nas finalizações. No fim, o Furacão aproveitou seu banco para manter a energia. Os minutos finais quase guardaram o terceiro gol dos rubro-negros, com Everson defendendo duas tentativas de Bissoli.

O Atlético Mineiro permanece na liderança do Brasileiro, mas agora com o mesmo número de partidas que Internacional e Flamengo, além de três jogos a mais que o São Paulo. O Galo soma 38 pontos, dois de vantagem sobre os três principais perseguidores. E não terá vida fácil no fim de semana, em visita ao Ceará. Já o Athletico Paranaense salta à décima colocação. O time soma 25 pontos, três acima da zona de rebaixamento. O Furacão recebe o Santos na próxima rodada.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore