Numa tabela do Brasileirão considerando apenas o segundo turno, o Flamengo continuaria na liderança. No entanto, a segunda colocação ganharia novo dono isolado nesta quarta-feira. O Athletico Paranaense faz uma metade final de campanha excelente e confirmou isso contra o Santos, na Arena da Baixada. Na despedida de sua torcida em 2019, o Furacão derrotou o Peixe por 1 a 0 e chegou ao seu 12° jogo de invencibilidade. São 37 pontos dos athleticanos no returno, com apenas uma derrota sofrida. Deixam uma ótima impressão rumo a 2020, mas também uma dúvida sobre qual o potencial da equipe se tivesse jogado o campeonato com interesse máximo desde o início.

O que o Athletico Paranaense fez não é novo, ao priorizar os mata-matas que disputava durante o início do Brasileirão. De fato, o Furacão teve uma maratona extenuante de jogos, não apenas por chegar longe na Copa do Brasil e por avançar na Copa Libertadores. Ainda viu seu calendário recheado pelos compromissos como campeão vigente da Copa Sul-Americana, ao disputar a antiga Copa Suruga e a Recopa. Assim, o início de campanha morno dos rubro-negros é compreensível, com jogadores poupados e outras atuações sem o máximo nível de intensidade. A principal culpa é do excesso de jogos imposto pelo inaceitável calendário do futebol brasileiro, que exige demais dos elenco de maio em diante.

O título da Copa do Brasil deu leveza ao Athletico. E o mais louvável é que os rubro-negros não sentaram nos louros, se acomodando no Brasileirão. Longe disso, o Furacão pegou embalo na campanha. O time até perdeu a última rodada do primeiro turno, diante do Avaí, entre um duelo e outro contra o Internacional na Copa do Brasil. Porém, desde a confirmação da conquista, apenas o Flamengo foi capaz de derrotar os athleticanos.

A ótima sequência inclui resultados expressivos também fora de casa, onde o Athletico teve mais dificuldades em outros momentos. Além disso, não foram poucos os adversários de peso que sucumbiram ao Furacão. Nas últimas semanas, até seria natural uma desconfiança sobre os paranaenses, após a conturbada saída de Tiago Nunes. O time, em compensação, demonstrou que não dependia necessariamente do treinador e emendou sua melhor série já sob as ordens de Eduardo Barros. Nas últimas seis rodadas, apenas o Ceará conseguiu arrancar um empate dos rubro-negros. A equipe venceu São Paulo, Botafogo, Atlético Mineiro e Grêmio, até o triunfo sobre o Santos nesta quarta.

Independentemente da boa fase, como era de se esperar, o Athletico enfrentou dificuldades contra o vice-líder do Brasileirão. O primeiro tempo manteve o equilíbrio e o Santos conseguiu ser mais perigoso, apesar das dificuldades que a marcação adiantada dos rubro-negros impunha. Apesar disso, os alvinegros não criaram tantas chances claras para abrir o placar. A sorte do Furacão mudou na volta do intervalo. O gol da vitória saiu logo no primeiro ataque, no primeiro minuto. Rony mandou a bola na área e Marco Ruben emendou o peixinho para dentro. Prêmio ao argentino em sua despedida da torcida, já que voltará ao Rosario Central em 2020.

O Peixe tentou responder, mas era um duelo aberto e os athleticanos passaram a encaixar mais seus ataques. Já aos 22 minutos, a expulsão de Luan Peres abriu o caminho aos anfitriões, que administraram o resultado, com direito a gritos de olé. Ao final, ficou ainda um clima de despedida. Marcelo Cirino, que deve jogar no exterior, foi muito aplaudido ao deixar o campo. O mesmo aconteceu na recepção a Bruno Guimarães, que saiu do banco para entrar no lugar do atacante. O volante deve rumar ao Atlético de Madrid em janeiro.

O resultado é mais uma prova da força do Athletico Paranaense, que não dependeu de nomes específicos para manter seu ciclo vitorioso nas duas últimas temporadas. E, embora brigar com o Flamengo fosse missão difícil, a ascensão dos rubro-negros deixa a impressão de que, se o calendário fosse um pouco menos insano, o time poderia se meter na corrida pela segunda colocação. Entre o excesso de jogos e a opção por tirar o pé, certamente alguns pontos importantes ficaram pelo caminho.

O Furacão fecha a quarta-feira na quarta colocação. Soma 63 pontos, ainda aguardando o resultado do Grêmio contra o Cruzeiro. O segundo turno corresponde a quase 60% dos pontos da equipe rubro-negra. Já o Santos ainda manterá o segundo lugar, mesmo se o Palmeiras vencer o Goiás e igualar a sua pontuação. O Peixe tem 71 pontos e é outro que merece ser exaltado pela boa campanha que faz, acima do que se esperava. Desta vez, porém, não deu para competir com o embalo do Furacão.

Classificações Sofascore Resultados