A saída de Antoine Griezmann do Atlético de Madrid já se transformou em uma novela. E com contornos de dramalhão, especialmente pela rusga pública desta sexta-feira. Presidente do Barcelona, Josep María Bartomeu declarou publicamente que os blaugranas seguem interessados na contratação do francês. Porém, a conduta do clube não agrada nada os colchoneros. Primeiro, aguardaram 1° de julho para que o valor total da multa rescisória caísse de 200 para 120 milhões de euros. Agora, na mesa de negociações, pediram para que o pagamento fosse adiado. Irritado, o Atleti publicou um comunicado oficial criticando os catalães e exigindo que o atacante se junte ao elenco para a pré-temporada.

Segundo o Atlético, Griezmann comunicou ao clube sua decisão de sair em 14 de maio. Na conversa, estavam presentes o presidente Miguel Ángel Gil e o técnico Diego Simeone. No entanto, pouco depois os colchoneros descobriram que o francês tinha se apalavrado com o Barcelona desde março, depois de uma negociação que se arrastou a partir de fevereiro. Os trâmites, por baixo dos panos, ocorreram enquanto o Atleti se concentrava para encarar a Juventus na Champions.

“Em referência à declaração do presidente Bartomeu realizada hoje, queremos manifestar que é verdade que no dia de ontem aconteceu uma reunião entre Miguel Ángel Gil e o chefe-executivo do Barcelona, Oscar Grau, a pedido do Barcelona. Nesta reunião, o senhor Grau manifestou sua intenção de, diante da modificação da cláusula de rescisão do contrato de Griezmann, pedir um adiamento no pagamento do valor referido. Evidentemente, a resposta do Atlético de Madrid foi negativa, entendendo que tanto o Barcelona quanto o jogador faltaram com respeito ao Atlético de Madrid e todos seus torcedores”, assinalou o clube.

Diante da situação, o Atlético de Madrid resolveu tomar atitudes enérgicas. Exigiu que Griezmann cumpra suas obrigações contratuais com o clube. Pediu que ele compareça no próximo domingo ao centro de treinamentos, para que inicie a pré-temporada com o restante dos companheiros. Além disso, questionou a ética do Barcelona na condução da transferência.

“Através deste comunicado, o Atlético de Madrid quer expressar sua mais enérgica repulsa pelo comportamento de ambos, em especial do Barcelona, por ter induzido o jogador a romper seu vínculo contratual com o Atlético de Madrid em um momento da temporada no qual o clube estava jogando não só a eliminatória da Champions contra a Juventus, mas também o título da Liga contra o próprio Barcelona, algo que consideramos violar os períodos protegidos de negociação com os jogadores e altera as normas básicas que regem a integridade de toda competição esportiva, além de supor um enorme prejuízo para nosso clube e seus milhões de torcedores”, complementou o comunicado.

O enfado do Atlético, afinal, não vem de hoje. O clube já havia demonstrado seu descontentamento com outras atitudes de Griezmann, mesmo durante renovações passadas do atacante. O episódio do anúncio cinematográfico da permanência em 2018 não pegou bem e, segundo a imprensa espanhola, o atacante pretendia fazer o mesmo para sua saída em maio, mas os colchoneros se anteciparam ao anúncio. A descoberta das negociações por baixo dos panos aumenta o incômodo.

Resta saber qual será o andamento das negociações, diante do inegável mal-estar. Por um momento, a transação pareceu incerta, ante os noticiados questionamentos dos jogadores do Barcelona à contratação. O Atlético de Madrid, por sua vez, se indica interessado em despachar um jogador que perdeu o apoio da torcida e não deseja mais ficar no clube, até por outros investimentos realizados nesta janela de transferências – com João Félix escolhido para ocupar a lacuna no ataque. Certo é que, neste momento, a situação de Griezmann no Atleti parece insustentável. Independentemente do que acontecer nas negociações, é bem provável que no Metropolitano ele não permanecerá. Agora falta o Barcelona pagar o valor para um desfecho menos desgastante a todas as partes.