O duelo de craques que ficará para sempre: Didi x Kopa na semifinal da Copa de 58

Destaques na Copa de 1958, as duas lendas fizeram uma disputa particular de pura classe no gramado do Estádio Rasunda

Juntos, os dois compartilharam a mesma honraria, eleitos ao time ideal da Copa do Mundo de 1958. Didi e Raymond Kopa não faziam exatamente a mesma função. O brasileiro era o maestro da Seleção, o homem responsável por cadenciar o jogo, mas também por potencializar o poder de fogo de seus companheiros. O francês, por sua vez, também contribuía muito com sua visão de jogo, mas agregava isso a um estilo mais veloz, encadeando dribles, recuando do ataque. Em 24 de junho, se encontraram no gramado do Estádio Rasunda. O duelo entre o melhor jogador do Mundial e o melhor jogador da Europa em 1958. Só um triunfou. Só o camisa 6 do time de Vicente Feola.

VEJA TAMBÉM: Raymond Kopa deixou ao futebol um legado que foi ainda além de seu grande talento

Didi, inclusive, deixou sua marca na vitória por 5 a 2 sobre a França. Aos 39 do primeiro tempo, fez valer o seu talento em um chutaço de fora da área, no ângulo, que também contou com a colaboração do goleiro Claude Abbes. Com um companheiro lesionado, Kopa não conseguiu impor o seu jogo. Teve que se contentar com a decisão do terceiro lugar. Viu de longe os jogadores que aprendeu a admirar (sobretudo Garrincha) triunfarem como campeões do mundo, ao vencerem a Suécia na final.

Por pouco, Kopa e Didi não dividiram o mesmo vestiário. Quando o craque brasileiro chegou ao Real Madrid, o francês já estava de saída. Poderiam muito bem se encaixar no mesmo timaço. Aquele duelo de 1958, de qualquer maneira, deixou sua história. Quem sabe não batam sua bolinha, agora, em algum lugar além da Terra.