De volta à Bundesliga, o Colônia se mostrou motivado nesta sexta-feira. O Estádio Rhein Energie recebia novamente um jogo da primeira divisão e os Bodes pareciam dispostos a fazer bonito diante de sua torcida. Principalmente durante o primeiro tempo, os alvirrubros realizaram um jogo duríssimo ao Borussia Dortmund. Porém, a vantagem inicial não se manteve. O time de Lucien Favre reagiu e somou a sua segunda vitória no campeonato, outra de virada – desta vez, muito mais suada. O triunfo aurinegro por 3 a 1 só se confirmou nos minutos finais, com o dedo do treinador, após as boas mexidas na equipe. Um resultado que reafirma como o BVB possui um elenco mais forte para mirar a Salva de Prata.

Lucien Favre não executou grandes mudanças em relação ao time que goleou o Augsburg na estreia da Bundesliga. Apenas Roman Bürki retornava ao gol. Ainda assim, os aurinegros sentiram as dificuldades de encarar o Estádio Rhein Energie. O Colônia começou o duelo em altíssima intensidade. Por mais que os visitantes tivessem a posse de bola, encontravam problemas para superar a marcação. Os anfitriões não davam brechas. Além disso, conseguiram ser bem mais agressivos no ataque, o que permitiu que inaugurassem o marcador.

Sem criar grandes lances, o Dortmund ficou limitado a uma finalização ou outra. Na melhor delas, Marco Reus cobrou falta e o goleiro Timo Horn buscou no canto. O Colônia cresceu com o passar dos minutos, muito pela correria imposta por seus atacantes. Depois de algumas tentativas travadas em sequência, os Bodes foram premiados pela postura e abriram o placar aos 29. Ellyes Shkiri cobrou escanteio pela direita, a bola passou por todo mundo e Dominick Drexler concluiu no segundo pau. Os alvirrubros ainda estiveram mais próximos do segundo tento antes do intervalo, principalmente pela maneira como quase forçaram os erros nos recuos a Bürki. A vitória parcial foi mais que merecida.

O Dortmund precisava ser mais agressivo durante o segundo tempo. Contudo, o seu ataque ainda não era tão contundente e, quando surgiu a chance, Horn parou Alcácer em bom giro do atacante aos 10. Enquanto isso, Anthony Modeste representava o pesadelo do outro lado. Com muito empenho e vigor físico, o centroavante brigava por cada lance. As redes até chegaram a balançar aos 17 minutos, com o francês aproveitando um rebote de Bürki. No entanto, estava impedido e a arbitragem anulou o tento. O risco acordou o BVB.

Logo na sequência, Favre realizou suas duas primeiras alterações. Julian Brandt e Achraf Hakimi deixavam a equipe mais ofensiva, entrando nos lugares de Julian Weigl e Nico Schulz. Com a blitz do Dortmund, o Colônia também sentiu o cansaço de sua resistência. A reação dos visitantes começava a se desenhar. Em uma das primeiras participações, Brandt habilitou Reus na cara do gol e Horn salvou. Já aos 25 minutos, veio o empate. Após cobrança de escanteio curta, Jadon Sancho recebeu na lateral da área, cortou a marcação e bateu cruzado para vencer Horn. Os aurinegros cresceram com o gol, mesmo sem gerar tantas oportunidades.

Demorou um tempo até que a virada ocorresse. O Colônia se mantinha vivo, com alguns avanços ao ataque. Apesar disso, o jogo estava nas mãos do Dortmund e o alívio desatou aos 41, graças ao segundo gol. Após uma linda enfiada de Brandt, Lukasz Piszczek avançou pela direita e cruzou no capricho. Horn saiu em falso e Hakimi apareceu no segundo pau para cumprimentar. O tento baqueou os Bodes, praticamente entregues. Uma fagulha de esperança até surgiu nos acréscimos, com a possibilidade de cruzar a bola na área, mas foi justamente este lance que permitiu o contragolpe e o último tento do BVB, aos 49. Sancho arrancou e não foi egoísta, ao deixar Paco Alcácer na boa para emendar às redes. Apesar de toda a entrega dos anfitriões, a qualidade dos visitantes pesou.

As duas primeiras rodadas deixam seus recados ao Borussia Dortmund. Mesmo os adversários menos qualificados podem dar trabalho e o time de Lucien Favre está em processo de formação. De qualquer maneira, há sinais positivos, entre a postura para resolver situações difíceis e a possibilidade de aproveitar quem vem do banco – já um ganho em relação ao que se viu na temporada passada. O mais importante é que, com seis pontos somados, os aurinegros seguem em frente no intuito de competir pelo título. A liderança provisória sinaliza a ambição. Os Bodes, ainda zerados, ocupam o 15° lugar.