Um gol nos minutos finais da primeira partida, em março, garantiu a vantagem ao Istambul Basaksehir contra o Copenhague pelas oitavas de final da Liga Europa. E os turcos tinham outros motivos para ganhar mais respaldo nesta quarta, no Estádio Parken, durante o tão postergado reencontro: neste ínterim, o time faturou o inédito título da Süper Lig e se confirmou na fase de grupos da próxima Champions League. Quem teve mais sangue nos olhos, porém, foi a equipe dinamarquesa. O Copenhague nem pensou no retrospecto recente. Focou-se em sua tarefa dentro de campo e reverteu a situação com imponência, ao bater o Basaksehir por 3 a 0. Pela primeira vez em sua história, o clube vai às quartas de uma competição continental.

Ver times dinamarqueses nas quartas de final das copas europeias não é tão raro assim. Outras oito equipes conseguiram tal feito anteriormente, nos três principais torneios da Uefa – Champions, Liga Europa e a extinta Recopa. Os próprios clubes que deram origem ao atual Copenhague, KB e Boldklubben 1903, alcançaram tal patamar no passado. O problema é que um quadrifinalista não pintava no país desde 1996/97, quando o rival Brondby ficou entre os oito melhores na Copa da Uefa, eliminado pelo Tenerife. E o único a ultrapassar tal barreira foi o próprio Brondby, semifinalista da Copa da Uefa em 1990/91.

O Copenhague vinha de campanhas europeias frequentes desde sua fundação em 1992, sobretudo ao longo da última década. Na Champions League, foram quatro aparições na fase de grupos desde 2006/07, alcançando as oitavas de final em 2010/11 – quando caiu para o Chelsea. Já pela Liga Europa / Copa da Uefa, os dinamarqueses somam nove participações na fase de grupos. O limite, entretanto, havia sido as oitavas de final: foi nesta fase que o time caiu há três temporadas, eliminado pelo Ajax. Desta vez, o FCK se superou.

A vitória por 1 a 0 em Istambul fazia o Basaksehir jogar pelo empate nesta quarta, na Dinamarca. O Copenhague, no entanto, mal esperou para logo igualar o placar agregado. Logo aos quatro minutos, o uruguaio Guillermo Varela recebeu livre pela direita uma inversão. O lateral cruzou e Jonas Wind mergulhou no meio da área. Os turcos até controlavam mais a posse de bola, mas tinham dificuldades para romper a marcação dinamarquesa e se limitaram a um chute perigoso de Edin Visca. Os anfitriões eram bem mais contundentes e poderiam ter ampliado antes mesmo do intervalo.

No segundo tempo, de qualquer forma, o Copenhague tratou de matar o jogo. Aos sete minutos, um pênalti flagrante permitiu que Wind ampliasse. E, mesmo que o Basaksehir precisasse de apenas um tento, o FCK impunha sua eficiência. Aos 17 minutos, um ataque rápido permitiria que Rasmus Falk Jensen fizesse o terceiro. O ponta arrancou pelo meio e bateu da entrada da área, mandando no canto do goleiro Mert Günok. Mesmo finalizando mais, os turcos estavam em noite descalibrada e mal assustaram a meta adversária.

O Copenhague enfrentará o Manchester United nas quartas de final. Os Red Devils, pela maneira como terminaram a Premier League, retomam a Liga Europa como os principais candidatos ao título. Todavia, sem ter o mesmo prestígio no encerramento do Campeonato Dinamarquês, o FCK mostrou como pode ser competitivo. Fez um trabalho muito bom na marcação e também soube aproveitar suas chances. Em jogo único num campo neutro, a probabilidade de uma zebra aumenta. É a oportunidade dupla de fazer história – seja por superar os ingleses, seja por levar a Dinamarca a uma semifinal depois de 29 anos.