Desde o início dos protestos contra o governo no Chile, há duas semanas, os jogadores de futebol ocupam um lugar de destaque no debate. Através de suas redes sociais, vários personagens da seleção nacional e dos clubes locais deram opiniões contundentes sobre a mobilização social – a maioria, se colocando ao lado da população. E, nesta quinta-feira, o Colo-Colo realizou uma iniciativa bastante interessante para promover a discussão. O Cacique abriu os portões do Estádio Monumental para uma audiência pública.

Ao longo da semana, o Colo-Colo postou vídeos em suas redes sociais, nos quais os próprios jogadores convidavam os chilenos para participarem do chamado “cabildo” no Monumental. O resultado foi expressivo. Mais de 1,5 mil pessoas se dirigiram ao estádio na manhã desta quinta e integraram as atividades. Os visitantes se dividiram em grupos de 15 a 20 membros, para discutir assuntos como o salário mínimo, a aposentadoria, o sistema de saúde, a educação, entre outros. Várias bandeiras do clube e do país coloriam o ambiente, assim como do povo Mapuche.

A ação do Colo-Colo contou com a presença de antigos ídolos, como Marcelo Barticciotto e Daniel Morón, ambos campeões da Libertadores em 1991. Também esteve por lá Edmundo Valladares, presidente do clube social dos albos – que se difere da sociedade anônima que gere economicamente a agremiação. Até mesmo o prefeito de Macul, a comuna onde fica o Monumental, participou do cabildo. As resoluções dos grupos de debate serão recolhidas pelo Centro de Estudos do Colo-Colo e parte delas acabará direcionada à própria municipalidade.

“Esperamos que o Colo-Colo possa elevar os sonhos coletivos de nossa gente para um Chile melhor. A intenção é tornar públicas as questões expostas aqui. Temos mais de 50 moderadores que vão sistematizar os resultados e vamos entregar logo a outras mesas de unidade social, que estão trabalhando para uma assembleia constituinte”, pontuou o presidente Edmundo Valladares. Se qualquer clube pode servir de porta-voz ao povo nos estádios, os colo-colinos elevaram tal papel a uma nova instância.