O tropeço do Borussia Dortmund em casa contra o Club Brugge, na rodada anterior da Liga dos Campeões, até parecia custar a liderança do Grupo A aos aurinegros. No entanto, se Dortmund e Atlético de Madrid conquistaram com certas folgas a classificação na chave, os belgas também merecem ser elogiados. Vista como potencial saco de pancadas, a equipe sofreu apenas duas derrotas e terminou seguindo à Liga Europa. Tanto é que, nesta terça-feira, atrapalhou os planos do Atleti. O empate dos colchoneros por 0 a 0 em Bruges, por tabela, entregou a primeira colocação nas mãos do BVB. O time de Lucien Favre se confirmou na ponta ao derrotar por 2 a 0 o Monaco, no Estádio Louis II – e os alvirrubros terminam a fase de grupos, mais uma vez, como uma das grandes decepções.

O Borussia Dortmund poupou a maioria absoluta de seus titulares na visita ao principado. Entrou em campo com jovens que precisavam mostrar serviço, em sua maioria, e tomou conta do jogo. Dominando o primeiro tempo, a equipe abriu o placar aos 15 minutos. Boa troca de passes até que Maximilian Philipp cruzasse a Raphaël Guerreiro, livre na pequena área. O português só precisou empurrar às redes vazias. E os visitantes seguiam com as melhores chances, contra um adversário que errava demais.

A grande oportunidade do Monaco surgiu no início do segundo tempo, a partir de um escanteio. Kamil Glik cabeceou firme, mas mandou a bola por cima do travessão. De qualquer forma, quem continuava com o jogo sob controle era o Dortmund, ameaçando por osmose e trabalhando a bola com tranquilidade. Diego Benaglio chegou a ser forçado a fazer uma defesa difícil, até que o segundo saísse aos 43. Méritos principalmente de Christian Pulisic, bagunçando a defesa pela esquerda. A zaga não afastou completamente e a bola veio mansa ao próprio Guerreiro, que arrematou de primeira, aumentando sua contagem.

O Atlético de Madrid não teve a mesma felicidade. Entrou com mais opções principais que o Dortmund, mas fazendo alguns testes, com destaque à utilização de Saúl Ñíguez na lateral esquerda – muito bem no novo papel. E o primeiro tempo viu os colchoneros pressionando mais, ao controlar a posse de bola e aproveitar o apoio de seus meias. A equipe criou duas chances claras, mas em ambas viu o goleiro Ethan Horvath salvar. Pegou um chute de Thomas Partey em cima da linha e depois de esticou todo para fazer milagre em batida de Antoine Griezmann, por cobertura.

O ritmo do jogo mudou no segundo tempo, com o Club Brugge tentando se colocar mais no campo de ataque e fazendo o Atleti se contentar com os contragolpes. Por muito pouco os belgas não abriram o placar aos 27 minutos. O brasileiro Luan Peres fez tudo certo após cruzamento da direita, ao cabecear no contrapé de Jan Oblak. Porém, o goleiro se agigantou e defendeu com o corpo. No final, precisando da vitória para avançar na primeira colocação, os espanhóis insistiram nas bolas alçadas e ficaram próximos do tento. Viram a defesa anfitriã se salvar como podia, ganhando aplausos de sua torcida pelo esforço ao segurar o empate.

Tanto Borussia Dortmund quanto Atlético de Madrid terminam com 13 pontos, mas os alemães levam vantagem no confronto direto, com maior saldo pelos 4 a 0 aplicados no Signal Iduna Park, e por isso avançam na primeira colocação. Posição que pode afastá-los de adversários mais temíveis nas oitavas de final. Já o Club Brugge havia confirmado antes a vaga na Liga Europa e ratifica sua diferença em relação ao Monaco. Os belgas encerraram a fase de grupos com seis pontos, contra apenas um dos monegascos.