Embora tenha conquistado o acesso na temporada passada, o Sheffield United está distante de representar três pontos garantidos na Premier League. Ao lado do Liverpool, era um dos únicos invictos fora de casa na campanha. No entanto, o Manchester City encerrou o retrospecto intocável das Blades, ao construir uma vitória capciosa no Estádio Etihad. Durante o segundo tempo, Agüero e De Bruyne permitiram o placar de 2 a 0, no 100° triunfo de Pep Guardiola à frente dos Citizens no Campeonato Inglês. A distância enorme em relação ao Liverpool, ainda assim, não permite aos celestes pensarem muito na liderança.

O Manchester City ditava o ritmo da partida desde os primeiros minutos, mas o Sheffield United mostrou que poderia complicar a situação em uma só bola. A partir de uma cobrança de lateral, Lys Mousset desperdiçou a chance de abrir o placar aos oito minutos, em desvio para fora. Aos poucos, os Citizens cresciam e aumentavam a pressão sobre a defesa, sem romper a barreira. Nada que impedisse as Blades de partirem ao ataque em velocidade e darem trabalho. Depois de um lance de John Egan, Mousset chegou a balançar as redes aos 29, num contragolpe. Porém, o atacante estava em impedimento mínimo, flagrado pelo VAR.

Não foi o tento anulado que acordou totalmente o Manchester City. Somente na volta ao segundo tempo é que o time de Pep Guardiola capitalizou seu controle de jogo. O Sheffield United seguiu tentando achar um contra-ataque, mas Sergio Agüero inaugurou a contagem aos sete minutos. Num lance no qual o posicionamento ruim do árbitro atrapalhou os visitantes, Kevin De Bruyne passou ao argentino, que invadiu a área e soltou o petardo no alto da meta de Dean Henderson.

Mousset ainda representava a maior preocupação ao Manchester City. Em compensação, os espaços se tornaram maiores aos celestes e o time passou a criar diversas oportunidades. Estava longe de ser a atuação mais inspirada do ataque. De Bruyne pelo menos se garantiu, ao ampliar aos 37. Riyad Mahrez arrancou em velocidade e passou ao meia, que fintou o defensor, antes de mandar para dentro. A partida ficaria bem mais tranquila a partir de então. O Sheffield, de qualquer forma, não pôde descontar. Quando Billy Sharp acertou uma bela cabeçada nos acréscimos, carimbou o pé da trave de Claudio Bravo.

O Manchester City segue correndo atrás do prejuízo. O time chega aos 41 pontos, na terceira colocação, um ponto atrás do vice-líder Leicester City. Os 14 pontos de diferença em relação ao Liverpool representam uma distância difícil de ser contornada neste segundo turno. Já o Sheffield United ocupa a honrosa oitava colocação, com 29 pontos. Somando 11 pontos acima da zona de rebaixamento, a equipe pode sonhar com uma aparição nas copas europeias.

Classificações Sofascore Resultados