Dia 19, às 22h. Salvo alguma surpresa, é esse o dia e a hora em que terá fim um grande ciclo de construção de novas arenas esportivas modernas do Brasil. Entre 2007, quando o País foi anunciado sede da Copa do Mundo, e a inauguração do Allianz Parque com Palmeiras x Sport, houve uma onda de obras de estádios. Foram 12 arenas para o Mundial (algumas novas, algumas com grandes reformas) e, para citar apenas as casas de times da Série A, novas estruturas em São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.

LEIA MAIS: Cinco coisas que você precisa saber sobre os novos estádios brasileiros

Assim, muita coisa que se imaginou e projetou já virou fato. Com partes boas e ruins, sabe-se muito do comportamento do torcedor brasileiro diante de estádios modernos e confortáveis, da política dos clubes sobre venda de ingressos e rentabilidade dessas arenas como negócio. Mas algumas dúvidas ainda estão no ar. Pegamos cinco delas e tentamos responder durante esta semana.

Segunda: Por que pagar pela Arena tem sido difícil para o Corinthians?

Cada vez mais surgem notícias de que o Corinthians, clube que mais fatura no Brasil (de longe, aliás), está com problemas para fechar as contas. E que isso teria muito a ver com o início do pagamento da obra de seu estádio.

Terça: Por que o Grêmio sofre tanto para lotar sua nova casa?

A Arena do Grêmio foi um dos grandes projetos de estádios do Brasil, mas tem sido muito raro o estádio ficar completamente lotado, mesmo em jogos decisivos e clássicos.

Quarta: Por que o custo do Mané Garrincha cresce mesmo depois de a obra estar pronta?

O estádio de Brasília era o mais caro da Copa de 2014 desde o início, mas seu custo ainda tem aumentado.

Quinta: Como a Arena Pernambuco tem vencido desconfianças e vivido bem?

Um dos projetos mais criticados da Copa de 2014 pela distância do centro e falta de necessidade de sua construção, a Arena Pernambuco tem sido um exemplo surpreendentemente positivo nesse seu início de vida.

Sexta: O que o Allianz Parque pode fazer pelo futuro do Palmeiras?

Muitos palmeirenses têm tratado a inauguração do novo estádio como um momento de virada. De fato, o Allianz Parque dá uma injeção de ânimo para o clube, mas o que há de concreto em seus efeitos sobre o futebol alviverde.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR:

– Cidade sem futebol, mas com Copa: também teve lá fora, e o que aconteceu?
– Como o Plano de Integração Nacional da Ditadura espalhou estádios pelo Brasil
– As histórias mais palestrinas dos 100 anos do Palmeiras