A contratação de um centroavante era um movimento crucial no mercado do Chelsea, depois de Diego Costar ter deixado bem claro que não ficaria em Stamford Bridge na próxima temporada. Os Blues falharam na tentativa de trazer Romelu Lukaku, mas fecharam o negócio com o Real Madrid por Álvaro Morata, 24 anos. O preço assusta: € 65 milhões que podem chegar a € 80 milhões, com bônus e variáveis. Principalmente por se tratar de um jogador que ainda precisa se provar.

LEIA MAIS: Bakayoko chega referendado ao Chelsea e promete uma dupla dinâmica de verdade com Kanté

O valor, como sempre, tem as suas explicações. Com a exposição do conflito entre Diego Costa e Antonio Conte, todos sabiam que o Chelsea queria um fazedor de gols e estava ainda mais desesperado depois de perder Lukaku para o Manchester United. Além disso, naturalmente cobram mais de clubes ingleses que usufruem do maior contrato de direitos de televisão da história. E o Real Madrid não tinha nenhuma necessidade de vender o seu camisa 9 reserva. Mesmo assim, é de se questionar: será que Morata era o melhor que € 65 milhões conseguiriam comprar para o Chelsea?

O espanhol é bom jogador. Muito bem até. Desenvolveu-se na base do Real Madrid e foi vendido por € 20 milhões para a Juventus, em 2014, depois de uma temporada como reserva dos merengues, em que marcou nove vezes. Em seus dois anos na Itália, Morata jogou bastante, 93 vezes, mas apenas 48 partidas como titular. Era uma espécie de 12º jogador, atuando desde o início em certas partidas e frequentemente saindo do banco de reservas. Fez 15 gols no primeiro ano em preto e branco e 12 no segundo.

Foi decisivo para a Juventus na caminhada à decisão da Champions League de 2014/15, com gols contra o Borussia Dortmund, nas duas partidas, diante do próprio Real Madrid, também nos jogos de ida e de volta, e na decisão contra o Barcelona. Um ano atrás, o Real exerceu a cláusula de recompra e o trouxe de volta por € 30 milhões. Sob o comando de Zidane, atuou em 43 jogos, com 20 gols. Ótimos números, mas, outra vez, não foi titular em nem metade das partidas do clube: 19. Isso considerando que Zidane poupou alguns dos principais jogadores na reta final do Campeonato Espanhol.

Desde que surgiu, Morata marcou 20 gols em uma única temporada, e foram apenas 15 em La Liga, e três na Champions League. Nunca foi titular absoluto de nenhum dos clubes que defendeu, apesar de ter atuado bastante por eles. Conseguirá substituir Diego Costa à altura? Enfim se firmar como titular? E fazer os gols que o Chelsea precisa para alcançar as ambições da temporada? Pode ser que sim, tem potencial para isso. Mas, na mesma medida, pode ser que não, porque ainda não teve sequer um ano como principal atacante de um clube grande da Europa.

É um pouco arriscado comprometer até € 80 milhões em um jogador que levanta tantas interrogações. O mercado está difícil para todos, e a oferta de bons atacantes é realmente escassa. Mas, neste cenário, risco por risco, o melhor para o Chelsea não seria fazer algumas apostas em jogadores mais jovens e mais baratos com potencial para explodir? Isso exige uma observação e um monitoramento mais aprofundado do mercado. Entre os nomes estabelecidos e conhecidos, realmente, não há muitos artilheiros como Morata disponíveis, mas também não me parece que os Blues tenham esgotado suas opções.

O espanhol está diante do grande desafio da sua carreira. Precisará lidar com muitas pressões e desafios. Terá que substituir Diego Costa, artilheiro de duas campanhas de título do Chelsea. Terá que lidar com o preço que foi pago pelos seus serviços e com a responsabilidade de liderar um ataque que quer vencer tudo na próxima temporada. Precisa se erguer às exigências.