O Castelão é o estádio do Brasil que, nos últimos meses, reúne com mais frequência festas fantásticas de suas torcidas. A boa fase ajuda. Os representantes do estado se afirmam no cenário nacional e apresentam projetos sólidos. Neste domingo, em particular, o Ceará aproveitou para comemorar sua própria história. O Vozão completou 105 anos e contou com um espetáculo nas arquibancadas. Mas a celebração não terminaria da melhor maneira aos anfitriões, em indigesta visita do Santos. O time de Jorge Sampaoli dá sequência à belíssima campanha no Brasileirão e, com o triunfo por 1 a 0, segue nas cabeças.

O Ceará lotou o Castelão, reunindo a torcida para uma grande homenagem antes que a bola rolasse. E assim se cumpriu: com o mosaico que pintou as arquibancadas de preto e branco, formando o escudo do clube; com os bandeirões, sobretudo aquele relembrando os grandes ídolos; e até mesmo com a imagem 3-D que se ergueu no meio da galera. Clima sensacional para um jogo importante, contra um rival de peso. Vale ressaltar ainda que, em um sinal de cordialidade, o próprio Fortaleza fez questão de parabenizar os rivais.

Quando a bola rolou, faltou combinar com o Santos. O Ceará ainda acreditou no resultado durante o primeiro tempo. Por mais que o Peixe permanecesse com a posse de bola, os alvinegros levaram mais perigo nos contragolpes e tiveram boas chegadas. Éverson protagonizava uma “lei do ex às avessas” e garantia o resultado para os santistas, com boas defesas contra Fernando Sobral e Bergson. Além disso, Thiago Galhardo havia levado muito perigo em outro arremate. Por mais que controlasse o jogo, os paulistas pareciam sentir os muitos desfalques – Soteldo, Pituca, Gustavo Henrique e Rodrygo eram os ausentes.

Na volta para o segundo tempo, Sampaoli conseguiu colocar o seu time nos eixos. Mandou Felipe Jonathan a campo e o ex-jogador do Ceará deu força ao lado esquerdo. O substituto participaria diretamente do gol da vitória, aos seis minutos. Após lançamento de Jean Mota, o garoto avançou e passou para Carlos Sánchez. O uruguaio, então, fez um cruzamento excepcional para Eduardo Sasha arrematar de cabeça. A jogadaça deu confiança ao Peixe e os visitantes seriam mais incisivos, ainda que Thiago Galhardo tenha mandado uma bola na trave. Também houve uma reclamação de pênalti dos cearenses, por toque de mão, que o árbitro de vídeo refutou. Ao final, o placar mínimo se manteve. Uribe teve uma estreia morna no ataque santista, enquanto Marinho saiu do banco e quase marcou em seu primeiro gol pela nova equipe.

O Santos assume provisoriamente a primeira colocação, com 14 pontos, ainda aguardando o resultado do Palmeiras – também nos tribunais, após a suspensão da vitória contra o Botafogo por uso indevido do VAR. Já o Ceará faz uma campanha razoável, no meio da tabela. É o 11° colocado, com nove pontos.