O Cilindro de Avellaneda se encheu para o grande jogo da rodada no Campeonato Argentino. Líder com sobras na competição, o Racing recebia o Boca Juniors, atual bicampeão nacional. E o resultado foi um jogo quente, tanto dentro de campo quanto fora. A Academia chegou a abrir dois gols de vantagem, mas permitiu o empate relâmpago dos xeneizes por 2 a 2. Ao final, palco para as polêmicas e os bate-bocas envolvendo os treinadores, ambos insatisfeitos com a condução da arbitragem. Apesar do “tropeço”, os racinguistas permanecem com a liderança firme em suas mãos.

Até parecia que o Racing venceria com facilidade. Durante o primeiro tempo, Lisandro López aproveitou um rebote do fraco goleiro Agustín Rossi para abrir o placar. E o veterano voltaria a brilhar no segundo tempo, em contragolpe, recebendo livre na área para fuzilar. Os racinguistas criaram ocasiões para mais, e o desperdício custou caro ao final do duelo. O empate aconteceu aos 37 minutos, em rebote do goleiro Gabriel Arias que Wanchope Ábila não perdoou. Cinco minutos depois, que apareceu foi o talentoso Sebastián Villa. O colombiano estava livre pela direita da área e encheu o pé, contando com nova colaboração de Arias. Entre um tento e outro, os albicelestes ainda ficaram com um jogador a menos, diante da expulsão de Matías Zaracho pelo segundo amarelo. Outros oito cartões foram distribuídos na noite.

Durante os instantes finais, os protagonistas da confusão foram os técnicos, Eduardo Coudet e Guillermo Barros Schelotto. O racinguista começou a insultar o árbitro à beira do campo e foi expulso antes do apito final. Já depois do término, o xeneize se dirigiu ao centro do gramado e, além de discutir com membros do Racing, também foi cobrar a equipe de arbitragem por suas decisões, alegando impedimento em ambos os tentos dos anfitriões.

O Racing permanece isolado na liderança do Campeonato Argentino, ainda invicto. Soma 20 pontos em oito rodadas, cinco a mais que o vice-líder Atlético Tucumán – este, com uma partida a menos. Já o Boca Juniors atravessa instabilidades e aparece apenas em sexto, com 14 pontos. Precisará de muito mais para tentar seu inédito tri. Neste domingo, pela superioridade da Academia durante a maior parte do confronto, os boquenses não podem reclamar da sorte, mesmo que acusem o árbitro.