Steven Gerrard começou o seu último clássico entre Liverpool e Manchester United no banco de reservas. O camisa 8 do Liverpool tem sido mais reserva que titular nos últimos jogos. O domingo, porém, era especial. Quem aproveitou a chance, porém, foi o camisa 8 do outro time. Juan Mata começou como titular e não decepcionou. Foram dois gols na vitória por 2 a 1 sobre o grande rival em pleno Anfield Road. Pior do que isso para o torcedor do Liverpool foi a maneira que o seu capitão se despediu do clássico. Entrou no segundo tempo, deu duas entradas duras e foi expulso, com menos de um minuto em campo.

LEIA TAMBÉM: Às vezes não é preciso jogar bem para vencer: basta ter um artilheiro como Giroud ou Kane

O jogo teve vários elementos interessantes. Primeiro, Pelé esteve em Anfield Road para acompanhar a partida. Elogiou Philippe Coutinho antes do jogo, mas o camisa 10 do Liverpool não conseguiu fazer muito. Deu um chute perigoso de fora da área no segundo tempo, mas nada muito além disso. O destaque vai mesmo para o lado visitante.

O Manchester United de Louis van Gaal estava bem organizado em campo. Não é um time brilhante, bem longe disso, mas conseguiu ser grande em um jogo grande, o que é essencial. Fez um primeiro tempo praticamente perfeito na casa do adversário, o principal rival, o que é sempre algo a ser levado em conta.

Mata não foi só decisivo pelos gols. Foi o jogador que mais fez passes na partida, 68, empatado com Antonio Valencia, que foi lateral direito no jogo. O primeiro jogador do Liverpool a aparecer na lista é o zagueiro Mamadou Sakho, com 58, atrás ainda de Ander Herrera, o terceiro na lista, com 60 passes. Não foi por acaso: a posse de bola esteve mais com o Manchester United, 51,9% a 48,1%.

Os comandados de Van Gaal conseguiram controlar o jogo com certa tranquilidade. Ainda mais quando Gerrard voltou para o segundo tempo e deu uma entrada dura em Mata e depois pisou em Herrera. Acabou bem expulso e deixou o time com um a menos, o que tornou a missão bem complicada. A expulsão não foi pela dividida, mas por ter pisado no adversário depois do lance, o que o juiz viu. Ele pediu desculpas depois do jogo e o técnico Brendan Rodgers contou que o capitão se desuclpou com os companheiros no vestiário.

O técnico holandês colocou Ángel Di María, que estava no banco de Ashley Young (sim, acredite). O argentino acabou sendo decisivo. Com quatro minutos em campo, deu um passe lindo para Mata, em uma cavadinha, e o espanhol deu um voleio que deixaria Bebeto orgulhoso. Golaço do Manchester United, que ampliava o placar.

Voltar para o jogo em uma situação como essa é duro. Brendan Rodgers arriscou ao colocar em campo Mario Balotelli no lugar de Alberto Moreno (que falhou na marcação de Mata nos dois gols). E quase foi expulso, em um entrevero com Smalling. Curiosamente, quem impediu a expulsão foi a torcida, que segurou o Super Mario. Veja o lance:

Ainda veio o gol do Liverpool, aos 24 minutos do segundo tempo, quando Coutinho fez a jogada e a bola chegou aos pés de Daniel Sturridge. Ele finalizou forte de pé direito para marcar o gol que acabaria sendo o único do time na partida.

Se Moreno não estava bem atuando pelo lado esquerdo, quem sofreu também foi Emre Can pelo lado direito. Foi um baile do lateral esquerdo Daley Blind em cima do alemão, que perdeu em todos os lances. Nos acréscimos, Can derrubou Blind dentro da área, ao menos para o árbitro Martin Atkinson. Pênalti que Rooney cobrou, mas não marcou. Mignolet defendeu e manteve uma marca muito negativa do camisa 10 do United no campo do seu grande rival na vida. Ele fez um gol em Anfield, em 2005, pelo Manchester United. Nunca mais conseguiu marcar jogando por lá.

Com 30 rodadas disputadas, o Manchester United tem 59 pontos, abrindo cinco para o Liverpool, quinto colocado, e a um ponto do Arsenal, terceiro. O Manchester City tem 61 pontos em segundo lugar e o Chelsea, líder, tem 64 – e ainda tem dois jogos a disputar a mais. O Manchester United é um time para voltar à Champions League. A briga deve ser dura, porque o Liverpool ainda terá chances e Southampton e Tottenham ainda tentam sonhar, ambos com 53 pontos. As últimas oito rodadas prometem.

LEIA TAMBÉM: Na vitória fácil do City, o árbitro cometeu uma lambança que ninguém entendeu até agora

OS GOLS