Werder Bremen e Bayern de Munique se reencontraram nesta quarta-feira, em circunstâncias totalmente diferentes do embate ocorrido no último sábado. Há quatro dias, dentro da Allianz Arena, a obrigação era dos bávaros, que precisavam vencer para se manter na liderança da Bundesliga. Suaram bastante, mesmo com um jogador a mais durante quase todo o segundo tempo. Desta vez, pelas semifinais da Copa da Alemanha, era possível esperar um encontro mais aberto no Weserstadion. Os Verdes não poderiam ficar tão entregues à própria sorte, em busca de uma decisão que seria histórica. E, de fato, desafiaram bem mais o poderio dos oponentes. Embora o Bayern tenha aberto dois gols de vantagem, o Bremen buscou o empate no segundo tempo. Contudo, logo depois, a corda estourou para o lado mais fraco. O time de Niko Kovac comemorou a vitória por 3 a 2, que os coloca no caminho do RB Leipzig rumo à decisão.

O Bayern ainda seria o mais cobrado pela necessidade de classificação. Mesmo assim, o primeiro tempo foi bastante aberto. O Werder Bremen demonstrou seu ímpeto logo nos minutos iniciais, embora as primeiras oportunidades tenham surgido aos bávaros. Na chance mais clara, Thomas Müller lamentou bastante o corte salvador de Nikolas Moisander. Mas se o Bremen não se defendia de maneira tão sólida quanto no sábado, também encontrou mais rapidamente os espaços para atacar. Foram alguns sustos contra a meta de Sven Ulreich, sobretudo em chute de Davy Klaassen por cima do travessão. Só que o grito de gol sairia mesmo do outro lado. Os bávaros abriram vantagem aos 36 minutos, em bola que sobrou para Robert Lewandowski encher o pé no meio da área. Depois de muito esbarrar no goleiro Jiri Pavlenka no fim de semana, o centroavante conseguiu vencê-lo. O polonês ainda teria um tento anulado antes do intervalo.

Durante o segundo tempo, a trocação continuou e o Bayern seguia levando mais perigo. Aos 18 minutos, os visitantes ampliaram e até pareciam resolver a partida. Thomas Müller era um dos mais ativos em campo e deixou o seu. Estava no lugar certo para aproveitar um chute que caiu nos seus pés, apenas com o trabalho de fuzilar o goleiro. Em contrapartida, a intensidade se tornou maior. Os bávaros acertaram o travessão de um lado, enquanto Sven Ulreich fez uma defesaça do outro nos minutos posteriores. E, mais importante, o Bremen acordou. Sessenta segundos fulminantes foram suficientes para o empate. Aos 29, Yuya Osako iniciou a jogada e apareceu dentro da área para concluir. Pois os Verdes mal terminaram de comemorar, antes de balançarem as redes um minuto depois. Os alvirrubros vacilaram na saída de bola e, após o desarme, os anfitriões emendaram o contra-ataque. Pegaram a defesa aberta e contaram com o brilhantismo de Milot Rashica. O kosovar arrancou, deixou Mats Hummels no chão e bateu no contrapé de Ulreich. A bola tocou a trave antes de estremecer as arquibancadas.

O que parecia uma grande reação ao Werder Bremen, todavia, terminou com frustração. A prorrogação seria uma consequência natural ao jogo. Mas, aos 35, o Bayern já celebrava o terceiro gol. Kingsley Coman caiu na área e, após a revisão do VAR, a arbitragem avaliou que o ponta sofreu um empurrão de Theodor Gebre Selassie. Lance bastante discutível, já que o contato não pareceu o suficiente para que o ponta caísse. Porém, marca da cal apontada, Lewandowski aproveitou para converter a cobrança e encaminhar o Bayern à final. Nos minutos finais, embora os visitantes tenham criado mais chances ao quarto tento, os Verdes arrancaram os suspiros de sua torcida por um lance desperdiçado no último minuto dos acréscimos. Não foi possível igualar outra vez.

O Bayern de Munique vai disputar a decisão da Copa da Alemanha pela 23ª vez. E o aproveitamento dos bávaros é assustador: são 18 vitórias. O Eintracht Frankfurt se tornou uma rara exceção em 2018 e o RB Leipzig terá a chance de emular o sucesso das Águias. Já o Werder Bremen lamenta o tropeço. Segundo maior campeão do torneio, com seis títulos, merecia melhor sorte nesta semifinal. A marcação da arbitragem ainda vai martelar a cabeça dos torcedores no Weserstadion por algum tempo.