O Torneio Pré-Olímpico da Conmebol abriu nesta segunda-feira a sua fase decisiva. E a Seleção percebeu logo de cara as dificuldades que deve enfrentar no quadrangular final, no qual apenas os dois melhores times garantem vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe de André Jardine enfrentou bem mais problemas ao pegar a anfitriã Colômbia, em Bucaramanga, e o empate por 1 a 1 saiu de ótimo tamanho por aquilo que os brasileiros apresentaram. Saíram atrás no placar, passaram aperto na defesa, tiveram dificuldades para criar no ataque apesar do volume e só arrancaram o empate na reta final da partida.

Jardine mudou mais da metade de suas peças na defesa, que realmente não rendeu bem durante a primeira fase do Pré-Olímpico. Porém, isso não seria suficiente para transmitir segurança ao longo da partida. A Seleção começou bem e pressionou durante os 20 primeiros minutos de jogo. Tinha a posse de bola e forçava as recuperações no campo de ataque, mas faltava um pouco mais de calma na conclusão dos lances. Já aos 26, um cochilo de Iago dentro da área permitiu a Edwuin Cetré abrir o placar, de cabeça.

O Brasil tentou recobrar o prejuízo ainda no primeiro tempo. Partiu para cima, sem finalizar da melhor forma. Antony era o principal respiro no setor ofensivo, mas a equipe seguia com problemas para furar a marcação cerrada da Colômbia. Além disso, os Cafeteros eram bem mais perigosos quando encaixavam seus ataques. Foi assim que Cetré forçou uma complicada defesa de Ivan, em cruzamento fechado.

Na volta ao segundo tempo, Pedrinho perdeu uma ótima chance em bola cruzada e Antony também fez o goleiro trabalhar. De qualquer maneira, o cenário permanecia parecido. Pepê logo sairia do banco no lugar de Pedrinho, mal no jogo. O Brasil demorava a finalizar e se expunha aos contragolpes, dando sorte que Jorge Carrascal também não estava inspirado. O alívio só veio aos 25 minutos, com Matheus Cunha. O centroavante precisou sair da área para buscar a bola e arriscou de longe. Contou com o quique no morrinho para vencer o goleiro Esteban Ruiz e decretar a igualdade no marcador.

O Brasil acordou e abafou, com Matheus Cunha logo exigindo uma boa defesa de Ruiz. Ainda assim, a retaguarda parecia exposta e Ivan voltou a fazer milagre, num arremate de Johan Carbonero que desviou no meio do caminho. A Seleção insistiu mais na virada e partiu para cima com intensidade, enquanto a Colômbia dava sinais de cansaço. Faltava um pouco mais de organização para superar o bloqueio cafetero e também profundidade nos avanços pelas pontas. As principais jogadas vinham em tiros da entrada da área, que o goleiro Ruiz conseguiu repelir, mesmo sem passar segurança.

Com o empate, o Brasil precisará correr atrás do prejuízo. A Argentina começou o quadrangular na liderança, ao derrotar o Uruguai por 3 a 2. Aproveitando a qualidade nos chutes de longe e também as carências do goleiro Ignacio de Arruabarrena, a Albiceleste abriu três gols de vantagem, com dois de Alexis Mac Allister (incluindo uma pintura) e um de Fausto Vera. A Celeste esboçou sua reação no final, com Ignacio Ramírez, mas só conseguiu encostar no placar durante os acréscimos, quando Matías Arezo fechou a contagem. Na próxima rodada, os brasileiros encaram os uruguaios.